segunda-feira, 1 de março de 2010

Nós

AzulejoSucedem-se as devastações com forte impacto na humanidade agravadas pela inoperância dos paradigmas mundiais vigentes que se comprova serem incapazes de responder satisfatoriamente.

O poder mundial, em vez de encarar estes desafios através do salto proporcionador de nova equação, refugia-se nos modelos anteriores (ou na negação da existência desses modelos) e continua a caminhada para o (des)conhecido com base em actos de fé de citações já inscritas, descritas e transcritas.

Parece que a inteligência se fechou nos manuais e na inexistência de coisa nova.

Repetimos sistematicamente os erros, inviabilizando o progresso, progresso que cada vez mais se baseia na invenção de novos instrumentos só úteis para cometer, de forma diferente, as argoladas do passado.
LNT
[0.083/2010]

5 comentários:

anamar disse...

Sem dúvida...
demora-se a aprender.
Abraço

joão eduardo disse...

Caro Luís
O que se l~e no azulejo pode ser muito acertado. Contudo, cai por base quando não se teve pai, não acha?
Abraço

Luis Novaes Tito disse...

Caro João Eduardo
Está-me a falar dos casos de insiminação artificial?

mdsol disse...

:)

fatbot disse...

Muita verdade num post de pura escrita " alternativa " ... boa semana Senhor Barbeiro e um até SEMPRE