terça-feira, 2 de novembro de 2010

O Dilema

Bandeira do BrasilContra o que muitos comentadores ambicionavam, o milagre da desmultiplicação dos pães não se deu e Dilma levou a bom termo aquilo que qualquer observador médio-atento previa. Ganhou, ganhou bem e recomenda-se.

Os brasileiros estão de parabéns. Mais pela esperança do novo que o Brasil pode vir a trazer com Dilma do que pelo facto de ser mulher o que, sendo notável, é irrelevante para os resultados. Mais pela história de vida de Dilma e de resistência ao velho, do que pela menorização dos que a apelidam de delfim de Lula.

O Brasil é, sempre foi, uma potência de recursos e de matéria-prima. Faltava-lhe aquilo que nos últimos anos se foi fazendo: formação, democratização e socialização. Uma questão geracional.

Se Dilma quiser, e não lhe restam muitas alternativas a esse querer, manter o rumo da democratização através da especialização, do desenvolvimento que terá de ser mais sustentado e ecológico, da investigação e do equilíbrio da riqueza, há realmente grande esperança para o povo brasileiro.

O Dilema de Dilma, o seu maior dilema, será conseguir que o trabalho seja mais compensador do que a inactividade e não se deixar ir no canto das sereias que continuam a advogar que um país para ter competitividade tem de ter salários baixos e uma classe trabalhadora sem perspectivas de progresso social.

Para já fica a esperança.
LNT
[0.382/2010]

4 comentários:

fatbot disse...

Seria BOM experimentar ... pôr o Mundo governado por MULHERES!!! Adorava saber qual seria o resultado! A Mulher é por norma Sensível, Perspicaz, Cuidadosa, Trabalhadora, ... Quem sabe?! Até SEMPRE

Luis Novaes Tito disse...

Tipo Angela Merkel, não é verdade?
Sensível, perspicaz, cuidadosa...
Deus nos livre.
:)

maloud disse...

E a Tatcher? Que saudades!

mdsol disse...

Falta a Golda Meir para compor o ramalhete!
:))))