quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Outro esfolar ( III )

Bola vermelha
O caso do pai incógnito

Como em todos os casos de ejaculação precoce e falta de preservativo, seguindo as normas em vigor para o coito interrompido recomendadas pelo Vaticano, temos aí uma criança indesejada que esteve quase nas mãos da abortadora mas que escapou, in extremis, pela voz do Deus de Belém.

Sabemos que isto que está a ser aprovado na Assembleia da República é um Orçamento filho-da-puta.

Sempre que a relação é deste tipo, o pai irresponsável foge à paternidade como o diabo da cruz. Embora o miúdo tenha orelhas de coelho e o nariz arrebitado, fisionomia que denuncia o progenitor, ele nega sempre, negando inclusive o acto praticado, embora seja público que se tratou de uma mal amanhada rapidinha, em pé, no beco escuro da Av. de Berlim.

O pai recusa-se ao teste de ADN mas é sabido que a pensão de alimentos lhe vai ser exigida.

É só uma questão de tempo.
LNT
[0.389/2010]

2 comentários:

fatbot disse...

Escrita alternativa ... aquela de que eu gosto! Um abraço

Vítor Sousa disse...

Muito bom! Mesmo muito bom! Abraço.