terça-feira, 21 de dezembro de 2010

E no entanto o mundo move-se

ConquilhasComo não sabemos se hoje há conquilhas, inventa-se um prato de conchas vazias. O Tomás não participa no processo eleitoral, logo, diz que a campanha eleitoral está sem mobilizar ninguém e eu concordo com a sua dupla negação.

Esta campanha não mobiliza ninguém porque mobiliza alguém e não é por Vasques estar ausente que o alguém passou a ser o ninguém.

Por cada sala cheia há-de aparecer sempre quem a filme antes de encher. Dói-lhes, há dores inultrapassáveis e, no entanto, apesar da falta do calor que faz abrir a casca à conquilha, o mundo move-se.
LNT
Nota: É este espírito de cabala que diferencia os romancistas dos ficcionistas.
[0.491/2010]

4 comentários:

Daniel Santos disse...

está bem visto.

ariel disse...

Boa!

Anónimo disse...

Tão amigos que eles eram...

Anónimo disse...

Tão amigos que eles eram...