quarta-feira, 23 de março de 2011

Foi tudo muito rápido

Gunter GrassEle, omnipotente, deu-lhe na veneta e de três paus fez uma canoa em seis dias. Ao sétimo, em vez de descansar conforme previsto e porque ainda não se tinha inventado a bisca lambida, resolveu matutar e, da serradura dos três paus, fez o cavaco para que o fogo crepitasse e se incendiasse a pasmaceira.

Mais tarde, vendo o homem triste sacou-lhe uma costela e dela fez melhor uso. Tudo coisas aparentemente boas mas que são a razão de todas as preocupações.

Tudo Ele fez em seis dias, quase tantos como os que passaram tão rápido para tão lento pensamento, passamento, desforra, ou lá o que é.

Sei que dantes o tempo precisava de tempo. Os jovens iam passar férias abnegadas com a canhota debaixo do braço para o mato tropical, havia o dia da raça e a raça de gente que nos havia de ter calhado. Mas isso era dantes.

Agora o tempo passa sem que se dê por isso. Deve ser efeito da reforma.
LNT
[0.100/2011]

7 comentários:

anamar disse...

Então e eu não sei!....
:))

eme disse...

Voa, voa!

maria disse...

delicioso... ;)

fatbot disse...

Excelente! Pura " escrita alternativa " ... " sei que dantes o tempo precisava de tempo" ... será que hoje já não precisa??? Na reforma ... e enquanto aposentada tenho tempo para tudo, mas faço o que quero, se quero e quando quero!!! É tão BOM!!! E ainda vai ser muito MELHOR!!!

João Afonso Machado disse...

«O tempo passa sem que se dê por isso». É bem verdade!
Já só conseguimos dar com os efeitos do tempo que passou, nunca a tempo de atentar nas causas actuais dos efeitos que detectaremos depois.

Utópico disse...

É por isso que alguns reformados, dizem que os acontecimentos foram tão rápidos que perderam a margem de manobra, especialmente aqueles que nunca se enganam e que raramentente têm dúvidas.

Cãocompulgas disse...

Gostei. É bom voltar e encontrar a coerência de sempre!