terça-feira, 12 de abril de 2011

Longe da rua

Arte Sacra - ÓbidosTudo muito arrumadinho.

Cabelos penteados, escanhoados perfeitos, actores perdidos pelo teatro (e que bons teriam sido no Dona Maria), contrastes perfeitos entre as mangas de camisa de colarinhos abertos, na nave, e as monocolores berrantes da moda ao pescoço, no altar.

A Missa seguiu os cânones. Música sacra, te deum, leituras, homilias, consagração, venha a nós o vosso reino, a bênção final e até alguns milagres. Fé, houve muita fé, e esperança também.

E o sussurro permanente:
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis

E o murmúrio em surdina:
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona eis requiem sempiternam.
LNT
[0.125/2011]

3 comentários:

one hundred trillion dollars disse...

sempre eterno é assi um...

se é eterno é para sempre

acho que é esse o significado da eternidade

não tem medida

Luis Novaes Tito disse...

toda a eternidade.

Luis Novaes Tito disse...

para todo o sempre