segunda-feira, 30 de maio de 2011

Mesquinha Manuela

Olhos Ferreira LeiteO desígnio de Manuela é alimentar, pelo ódio, as frustrações que a orientam. Move-se no descalabro representado pela teoria da "boa moeda cavaquista". Mas, se em relação ao mentor a coisa ainda resultou e lhe deu oportunidade de o demonstrar no discurso de vitória, a Manuela de pouco mais tem servido do que para, nas suas sucessivas derrotas, apunhalar alguns dos seus e destilar ódios em relação aos seus opositores.

Fê-lo com o poder no bolso quando teve oportunidade de demonstrar do que era capaz e mais não foi capaz do que varrer a sua ineficácia para baixo do tapete, fê-lo com ruinosos negócios de Estado, como foi o caso da venda de tóxicos incobráveis, enquanto Ministra das Finanças, fê-lo quando humilhou e insultou publicamente na Assembleia da República um director do Fisco que fez mais pela modernização da área fiscal do que qualquer outro e o substituiu pelo mais caro Director-Geral que a Administração já teve em Portugal.

Fê-lo sem o poder quando liderou o assassinato político de Santana, fá-lo agora, depois de ter sido derrotada nas urnas nacionais e nas do seu próprio Partido, ao dar o beijo de Judas a quem menorizou anteriormente e impediu de ser seu par na Assembleia da República.

Manuela Ferreira Leite é a imagem do ressabiamento, é o exemplo do que de pior temos na nossa sociedade e do que de mais desprezível a nossa democracia produziu. Resulta de uma imagem de intocável competência que os media criaram mas que nunca conseguiu demonstrar.

Manuela Ferreira Leite é o pior exemplo do político mesquinho, revanchista, inútil até para os seus, a imagem do miserabilismo público que nos conduziu até aqui.

Ela não dormirá descansada, mesmo sabendo Sócrates na oposição, porque a sua fúria de destruição só a deixará descansar quando já nada restar que lhe faça lembrar a porcaria que ela própria deixou às gerações seguintes.
LNT
[0.194/2011]

10 comentários:

Francisco Clamote disse...

Aplausos, Luís!

Maria disse...

Concordo inteiramente consigo.
Essa gaja além de mesquinha é feia, antipática e estúpida.
Irrita-me solenemente.
Maria

Maria disse...

Concordo inteiramente consigo.
Raramente embirro com uma pessoa mas, essa gaja faz-me alergia.
Maria

Anónimo disse...

A "GAJA" como lhe chama a Maria, relamente tem mesmo ar de gaja ordinária e feia que nem uma cabra.
Ok!!!! Mas a tal gaja já se esqueceu quando congelou ordenados à FP? Não é que o gajo Socrates não tenha feito o mesmo às carreiras da dita FP. Por isso se essa tal "GAJA" MF Leite é ressabiada e estou de acordo com o que o LNT afirma, já não queria deixar cair no esquecimento o ressabio do "GAJO" J S Pinto de Sousa. Enfim andamos cheios de GAJOS ressabiados. Fonix

Eusebio de Cesareia disse...

Muito bem! Descrição perfeita de uma avis rara que goza de alguma credibilidade, mas nunca deu provas da competência de que - sabe-se lá porquê... - anda aureolada. Pelo contrário, por onde passou - Educação e Finanças - deixou marcas de total incompetência e falta de senso, de burrice completa!
Peço desculpa à dita cuja de o dizer, mas o seu facies revela bem o interior da sua alma: feio.

Anónimo disse...

Só se publica os comentários concordantes não é?
Ok e viva a democrácia

Luis Novaes Tito disse...

O anónimo tem de ter calma. Já deve ter reparado que isto é uma barbearia e não uma charcutaria. Quero com isto dizer que aqui não é encher e pôr ao fumeiro.
É verdade que activei a leitura prévia dos comentários porque estava a haver os abusos do costume vindos dos anónimos do costume mas devo informá-lo que, à excepção das ofensas gratuitas, todos os comentários têm sido publicados, mesmo os dos anónimos que não têm coragem de assumir a responsabilidade por aquilo que escrevem.
Claro que me reservo ao direito de publicar ou não aquilo que entendo, um direito que me assiste porque este espaço, embora em acesso público, continua a ser privado.
Como pode ver o seu comentário até foi publicado, embora eu discorde do teor e da forma. Note que o meu sentido de democracia inclui os de propriedade privada e de responsabilidade pelos actos e, como isto não é um órgão de comunicação social, não me sinto obrigado àquilo que os anónimos entendem como democracia.

brites disse...

A ela falta-lhe a dimensão ética e moral,que a política não dispensa,mas exige.

Vive permanentemente com os pés enfiados no chinelo, que nunca quis largar,porque é da sua natareza a deselegância,o mau cheiro,a má qualidade e asaída rápida em caso de necessidade.

A gente decente não a "ouve"

Anónimo disse...

Muito bem LNT. Obrigado por publicar o comentário, mesmo que discorde dele. Elevou a minha consideração por si em bastantes pontos. Desculpe a linguagem utilizada, mas foi em sequência do post. Abraço do anónimo fiel seguidor do blog.

Anónimo disse...

Ela deve ter tido uma paixão não correspondida pelo Sócrates! Só pode!