segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Na ressaca

Caveira/lataAinda na ressaca das férias, tento recolocar-me no Mundo – Portugal incluído embora seja um mundo à parte – e fico com a sensação de que vivemos uma daquelas telenovelas em que, por muitos capítulos que se percam, nada evoluiu desde o último episódio visto.

Desde ciclones que, apesar dos alardes alarves da comunicação social, foram só tempestades tropicais iguais a muitas outras já vistas sem espalhafato em New York, ao senhor FMI que passou de eventualmente condenado na justiça para efectivamente condenado pela opinião publicada, passando pela famosa crise que alegadamente não deixaria que os políticos que andavam a banhos no Algarve tivessem férias, e pelo senhor Kadaffi – grande amigo dos seus aliados a quem há meia dúzia de meses distribuía chazinhos de tenda e agora os tem como carrascos – que deve estar a preparar um “fim-de-festa” digno do terrorista que nunca deixou de ser, nada mais houve a acrescentar à miserável crise que cada vez mais é para quem trabalha ou trabalhou e que deixa sempre de fora para enricar quem já é rico, ou aí anda perto.

Tirando o IVA que os teóricos julgam ser chapa ganha quando se lhe aumenta a taxa e fazem ouvidos-moucos às teses que defendem que esse tipo de saque resulta fracote porque quando as pessoas já não têm muito por onde cortar, cortam ainda mais nos consumos deixando de cara à banda os que lhes querem tudo sacar, aguardamos com calma (e veremos se com sossego) a grande "coragem" que se prepara com o anúncio de medidas e mais medidas para nos esticar a pele numa cura de emagrecimento que, de tão radical, começa a revelar-se anoréctica-suicida.

Como primeiro texto pós-férias até eu próprio estranho o pessimismo. Pode ser que esteja enganado e que a informação que me chega aos bochechos neste primeiro dia de reactivação passe a ser diferente ao arrear da bandeira e que amanhã consiga ver a luz que ilumina a estrelinha que os guia.
LNT
[0.330/2011]

3 comentários:

folha seca disse...

Nah! Caro Luis
Não andou assim tão distraído.
Sabe qual é parte pior do seu post?
É que está cheio de razão...

Manel disse...

Wellcome caro tosquiador.
Cá se vai andando com a cabeça entre as orelhas.
Aguardando as tesouradas do mestre barbeiro, pois bem precisamos de cortar guedelhas.
Abraço

Luis Novaes Tito disse...

Manel,
Conseguir manter a cabeça entre as orelhas já não é nada mau. :)
Abr.