quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O azar dos Távoras

Amolador
A introdução de uma nova modalidade de despedimento por inadaptação, em estudo, irá permitir o despedimento com justa causa dos trabalhadores cuja prestação decresça em termos de produtividade ou de qualidade.
A plebe que assistia às fogueiras mandadas fazer por Carvalho e Melo murmurava entre si:
"Azar ter-se nascido Távora".
Mas não era assim. O azar era ter-se Carvalho e Melo como o dono da caixa de fósforos.

Agora a plebe vai assistindo às brutalidades que destroem lutas de gerações e rasgam a Constituição conseguida a pulso, com a mesma passividade que teve nos tempos de Dom José e com o mesmo murmúrio que remete o azar para si própria (ainda para mais porque quando teve oportunidade de escolher dividiu-se entre isto que aí temos e aquilo que a fez ficar em casa a lamentar-se do seu azar)

Imaginemos que um trabalhador teve o azar de ser bem classificado na avaliação do primeiro ano e que no segundo, porque partia de uma nota máxima, mantinha essa avaliação ou ela era ligeiramente inferior. Estavam adquiridas as condições para ser despedido com justa causa.

Azar, azar, é ter a sina de sermos plebe e mais azar ainda é continuarmos a sê-lo.
LNT
[0.393/2011]

6 comentários:

Luis Novaes Tito disse...

Durante um bocadinho leu-se aqui Sampaio e Melo em vez de Carvalho e Melo.
Um problema de amizades. Bastou reler para ver o disparate e corrigi-lo de imediato.
Sem ofensa para ninguém, espero.

ex-sindicalista disse...

«O azar dos Távoras» ou: « até quando "com o azar dos outros posso eu bem" »?!
...
- Agora o governo PSD/CDS propõe substituir a Constitucional/C.T. «justa causa» para poder DESPEDIR,
por um neo-liberal «incumprimento de objectivos» ''acordados'' (leia-se ''impostos ao trabalhador'') ...
daqui resulta que qualquer trabalhador, de facto, passa a ter um vínculo PRECÁRIO, a qualquer momento podfe ser despedido,
estando sempre dependente do bom humor/satisfação/ engraixamento ou DISCRICIONARIEDADE/ arbitrariedade/ prepotência/ abuso do chefe ou patrão.

Entretanto, para os DESEMPREGADOS já baixaram o nºde meses para cálculo da indemnização, e querem pôr um limite máximo (reduzido) de indemnização ...
E já baixaram o subsídio de desemprego e o nº de meses de que pode usufruir, e querem baixar ainda mais, ...



responder a comentário | início da discussão | discussão


De . ex-sindicalista. a 22 de Setembro de 2011 às 14:47
E quem abriu a porta à destruição do/ no TRABALHO ? !

Para além dos ''ideólogos/opinadores'' do neo-liberalismo/ ultra-liberalismo/ capitalismo selvagem, que estão ao serviço (vendidos) da Finança e grandes grupos económicos (nacionais e internacionais)...

foram
os vendidos políticos ditos 'socialistas/trabalhistas'/ da 3ªvia/ moderna/ 'democrática' e os 'social-democratas' do ''centrão de interesses'' que tem des-governado este país, como mandaretes do neo-capitalismo global...
e os seus comparsas

como os 'sindicalistas' da UGT , que 'venderam a causa dos trabalhadores' por uns tachos e mordomias para si/dirigentes e seus familiares/afilhados ...

que, de cedência em cedência, foram assinando /concordando em 'concertação social'/CES com as propostas legislativas que os governantes PS e PSD lhes apresentaram ...

(alterações, revisões e novas leis laborais, código do trabalho, processo civil, recursos,decisões e acordãos judiciais, ... estatutos regimes e vínculos, carreiras, avaliação/SIADAP, idade e cálculos para reforma/aposentação, ... mobilidade, banco de horas, ... fundos de segurança social,... desemprego)

dividindo, isolando e destruindo o trabalho da CGTP e as conquistas e Lutas dos Trabalhadores.

... claro que a divisão e desinteresse dos próprios trabalhadores e os seus sindicatos com organização obsoleta e dominados por partidos ou dirigentes durante décadas... também foram contributos importantes para esta destruição...

Maria disse...

Quem tem a caixa de fósforos?
Maria

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Partindo do princípio que na generalidade as pessoas decrescem de rendimento a partir dos 50/60 anos, admitamos que esta é a versão laranja ( revista e actualizada) da injecção atrás da orelha criada pelos comunistas que, recordo, também comiam criancinhas ao pequeno almoço...

Anónimo disse...

Gosto desta barbearia porque se pode fumar.
Aquilo a que estamos a assistir é à liberalização dos despedimentos e a subtracão de todos os direitos dos trabalhadores.
Até me apetece sugerir que se acabem de vez com os trabalhadores porque afinal são eles a razão da crise...
Cumprimentos.
DNO

C.C. disse...

Não gosto de anónimos, mas este tem o meu aplauso.
Também gosto desta barbearia........