quarta-feira, 14 de março de 2012

Vai ser colossal

CaralhosesFica um exercício simples para qualquer um, até para um Ministro das Finanças:

Se, para medir qualquer coisa, tomarmos como base uma percentagem sobre uma variável temos de controlar essa variável, caso contrário...
Um exemplo:
5% do PIB.
Se o PIB for 1.000, então 5% são 50. Se o PIB for 100, então 5% são 5. Fácil, não é? Agora não se esqueçam de que a diferença entre 50 e 5 é de 45, tá?

Outro exemplo:
Um merceeiro, p.e., o Jerónimo Martins, vende 1.000 kg de caralhoses ao preço de 10 Euros/kg caralhoz e entrega ao Estado o IVA a 10%.
(calculo que a entrega ao Estado seja de 1.000 Euros)
Outro merceeiro, p.e., o Belmiro de Azevedo, vende 100 kg de caralhoses ao preço de 10 Euros/kg caralhoz e entrega ao Estado o IVA a 20%.
(calculo que a entrega ao Estado seja de 200 Euros)
Conclusão: entre uma coisa e a outra o Estado embochou menos 800 Euros e como o PIB era de …, ora … façam o favor de fazer as contas, porra!

Nota: Caralhoz é o nome que se dá ao lingueirão (navalha) na região da Ria de Aveiro. Foi aqui usado como exemplo para vos manter interessado(a)s no acompanhamento do raciocínio.
LNT
[0.169/2012]

12 comentários:

Porfirio Silva disse...

Luís,
Sou de Aveiro e nunca tinha ouvido falar de caralhoses...
Mas talvez o exemplo acorde o Gaspar!
Abraço

joshua disse...

Eu acho que vou passar a comprar o caralhoz.

folha seca disse...

Caro Luís
Esa das contas até bate certo. Mas as "caralhosas" só pagam 6% de iva.
"É uma questão de (re)fazer as contas".
Já agora sabe qual a diferença entre "Cagareus" e "Ceboleiros"?
Abraço (e desculpe lá baralhar-lhe as contas).
Rodrigo

Tantos do Tantos disse...

Na minha terra chamam-se conaços (conaço macho e conaço fémea)

Tantos do Tantos disse...

E já agora... Estes produtos são caros. Caros como o caralhós

Luis Novaes Tito disse...

Porfírio
Fiz o curso de pilotagem de T6 em São Jacinto. Não havia dia em que não fôssemos para as caralhoses regadas com Cristal, no Gato Preto ou no Cabaret da Coxa.
A melhor forma de as comer é de escabeche :)

Luis Novaes Tito disse...

Rodrigo,
aquilo são exemplos. Para o caso tanto faz, até porque agora nem as caralhosas escapam a mais 23% :)

Quanto aos carageus e ceboleiros fico em ânsias de aprender.

Desenvolva, homem, desenvolva!

Luis Novaes Tito disse...

Oh Tantos de tantos,
Já alguma vez viu um caralhoz? Desde quando aquilo se pode confundir com um conaço?

folha seca disse...

Caro Luís
Cagaréus e Ceboleiros é a alcunha aplicada aos habitantes de um e de outro lado da Ria. Não me pergunte de que lado são uns e os outros, porque já não me lembro.
Pronto (estamos quites) Aprendi o que são caralhosas e paguei na mesma moeda).
Abraço

Anónimo disse...

Caro folha seca,
Essa dos Cagaréus serem de um lado da Ria e os Ceboleiros do outro é nova! E quantos lados a Ria tem?

Caro Luís e ilustre Barbeiro,
Por caso, também fiz o mesmo curso, no mesmo sítio. Portanto, confirmo essa dos caralhoses e "tutti e quanti".
Quanto aos habitantes de Aveiro: Cagaréus são os da beira-mar, freguesia da Vera Cruz e Ceboleiros são os da parte alta, freguesia da Glória.
Mas o que aqui se conta são mesmo os caralhoses.
Abraço do Pendura.

folha seca disse...

Caro Anónimo
De facto, passei muito tempo em Aveiro e arredores, dormi lá dezenas de vezes (por razões profissionais) de facto nunca percebi bem onde se localizavam uns e outros.
Obrigado pelo esclarecimento.
Cumprimentos
Rodrigo

Luis Novaes Tito disse...

As coisas que hoje já aprendi...