sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sombras

MagritteFico na dúvida se a austeridade se destina a melhorar ou a manter os negócios resistentes a todos os impactos.

Tenho por teoria que, ao contrário do que se ouve vulgarmente nos autocarros, a culpa de tudo isto não é dos Partidos políticos mas sim de um grupo de interesses que gravita por aí e a quem é indiferente os detentores do poder político.

Esse grupo instalado desde sempre consegue que os seus testa-de-ferro flutuem em qualquer mar e, mesmo quando simulam o seu afundamento, é para manobrar mais submersamente os cordelinhos que movimentam. As reformas não passam de uma peça da engrenagem inteligentemente manipulada para eliminar todos os grãos de areia que a fazem patinar.

O que tem mudado nos últimos tempos são as fontes de receita. As sombras sabem o que os políticos não sabem e sabem sobreviver ao trânsito dos políticos.

Pouco lhes interessa a fonte de receita. Tanto lhes faz que jorre pelo aumento de receita ou pela diminuição de despesa. A máquina não é pública nem privada, nem de direita nem de esquerda, nem laranja, rosa, azul ou vermelha. É-lhe indiferente a vida e a morte. Não se importa de pagar desde que possa continuar em movimento.

O resto é espuma que as sombras borbulham para camuflar a sua existência.
LNT
[0.206/2012]

6 comentários:

zero disse...

well ... well ... well ...

Lido o seu post e tendo em conta o articulado e a falta de título, sugeria-lhe o seguinte (até porque sei como aprecia o meu inglês):

The Ghost in The Machine.

Agora tenha atenção ao seguinte:

1. De tanto repetir as coisas pode muito bem acontecer que comece a acreditar nelas.

2. Com a crença instalada é fácil passar aos ritos e, ritualizada a coisa, tem uma religião criada.

Nada de grave com as religiões. Uma das roliças moçoilas que já dirigiu o seu partido era socialista e católica, uma outra era socialista e laica. Logo você pode muito bem ser socialista e fundador de uma religião ou pelo menos de uma crença baseada em sombras ....

How about it ? :)

Maria disse...

Esses gajos, que nomeia, são "rolhas". Safam-se sempre, porque bóiam em todos os lodaçais, em todas as águas sujas.
Maria

zero disse...

Já tem título o seu post. Não é o sugerido mas é um título ...

O meu comentário (inocente e bem humorado) bem poderia ter sido publicado. Não foi. Espero que não tenha instituido a censura .... ahh ... quer dizer ... disciplina .... de voto ... quer dizer de escrita ... ou lá o que é!

Luis Novaes Tito disse...

Isto dos Blogs pode parecer uma profissão, mas não é e nem sequer é um passatempo a tempo inteiro.

Ao Zero ficava-lhe bem adicionar um pouco de paciência ao humor britânico.

Claro que, para além disso, saberá que a ferramenta está no meu comando e que, embora esteja no espaço público, continua a ser um bem privado que não se tem de reger por quaisquer outras regras diferentes daquelas que o seu autor entender.

zero disse...

supposing you have any or at least the concept ... that is ....

:)

Luis Novaes Tito disse...

Até isso é minha prerrogativa.