quarta-feira, 22 de agosto de 2012

No pasa nada

troikasEles andam aí e mesmo que os jornais e a restante malta do 5º poder não fale deles (já não sei se a designação está correcta porque cada vez mais parece que o primeiro poder é a finança e a comunicação social é o seu instrumento), a auditoria está a processar-se.

Possivelmente nada se sabe porque também não se querem fazer saber quais são os requisitos que estão a ser auditados, até porque eles mudam em cada visita e em conluio entre quem cá manda vir os auditores e os próprios auditados.

É por isso que a coisa tem corrido bem e a forma fálica que o coiso está a ganhar prenuncia a fornicação que ainda falta fazer para que se atinjam, com sucesso, os objectivos de empobrecimento.

Talvez por isso o instrumento do primeiro poder se esteja a guardar para a pompa e circunstância com que se prepara o anúncio de um relatório de excelente desempenho e o respectivo desbloqueio de nova “tranche” destinada ao sorvedouro insaciável de quem cá manda vir os seus auditores para darem luz verde à entrega do dinheiro que se destina a voltar para o seu bolso.

Parece confuso, mas não é. É só um jogo. Dona Branca não teria feito melhor.
LNT
[0.383/2012]

1 comentário:

Dulce Morais disse...

É só um jogo, talvez, mas bem perverso!