domingo, 9 de setembro de 2012

Um ás

Passos CoelhoTranscrevo o que ontem escrevi no FB sobre aquilo que Passos Coelho resolveu escrever no seu mural do FaceBook. (“não como Primeiro-Ministro mas como cidadão e como pai...”)

A todos nós assiste ir lá escrever o que, como cidadãos e como pais, temos para lhe escrever.

“Passos Coelho, depois de ter retirado aos trabalhadores portugueses o dinheiro que vai entregar aos chineses e aos angolanos da EDP e da Galp (entre outros), ainda se atreve a escrever no seu mural:
Não baixaremos os braços até o trabalho estar feito, e nunca esqueceremos que os nossos filhos nos estão a ver, e que é por eles e para eles que continuaremos, hoje, amanhã e enquanto for necessário, a sacrificar tanto para recuperar um Portugal onde eles não precisarão de o fazer.
Ele não tem noção do nojo que está a criar nos nossos filhos. Vale a pena ir lá explicar isso na caixa de comentários.

Certamente um dos seus muitos assessores terá oportunidade de lhe fazer um resumo."
LNT
[0.411/2012]

3 comentários:

Ibmartins disse...

Porque está calado o Seguro? A si, que penso ter contribuido para a sua eleição gostava de perguntar se ainda está convicto de ter acertado. Não é uma pergunta provocatória, é mesmo genuino interesse em perceber. Para mim, no meio de toda esta destruição de qualquer dignidade e futuro do peu país, o silêncio do PS é das maiores desmotivações.

Luis Novaes Tito disse...

Só ainda não ouviu o que Seguro diz quem não o quiz ouvir.

Mesmo sem ter procurado muito já o ouvi amiúde nas televisões depois de Passos Coelho ter feito a sua alocução.

O que eu acho extraordinário é que se tenha eleito um governo suportado numa maioria absoluta e um Presidente da República da mesma cor e agora se peça ao líder da oposição que faça milagres.

ibmartins disse...

Não sou muito exigente nem espero milagres, mas espero oposição. E a oposição, em democracia, faz-se com presidentes e governos de maioria ou não.

Não me parece que baste no limite, quando as coisas estão muito pretas dizer que não concorda. Porque não apresenta medidas alternativas?, porque não pede explicações, sobre a escola, sobre a energia, sobre as privatizações...
Não sou muito atenta, é verdade, mas a atenção é distribuida por igual e vejo muito mais oposição, muito mais discussão sobre outros caminhos em escrevinhadores da internet e em outros deputados ou mesmo figuras não políticas do que em Seguro.

Fiquei desiludida com a eleição de Seguro, pelas posições que o vi tomar (e não tomar) face ao governo anterior. Foi na visão de país do governo anterior que votei e Seguro, infelizmente nao me surpreendeu.