segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Yes, minister

Bezerro de OuroNo final da passada semana fomos bombardeados, nos canais informativos, com doses maciças de propaganda oriunda da sala do senado da Assembleia da República.

Tratou-se de uma acção violenta de catequização orquestrada para fazer chegar ao cidadão a imagem de um País imaginário governado por pressuposta gente de bem que se estava a dirigir a uma plateia amorfa e concordante. Nem a Assembleia Nacional conseguiu, alguma vez, passar imagem tão alucinada. Nem mesmo no tempo do Partido Único, da repressão, do controlo e da censura, se tinha observado tanta subserviência.

Os cidadãos assistiram ao espectáculo triste da imposição do pensamento único e retiveram em percepção que os seus votos são mera perda de tempo. Sentiram uma afronta ao esforço de eleger e frustraram-se com o sacrifício para sustentar o ócio de tanta gente de cabeça baixa e sem chama.

Foi um espetáculo deprimente de acomodados e venerandos deputados dispostos a aplaudir todas as meias verdades e fantasias proferidas por gente, alguma sem qualquer mandato de representação, que não lhes admitiu a ousadia de uma questão ou a mínima manifestação de desacordo.

Digamos que foi deplorável, para usar só uma expressão suave para tanta ignomínia.
LNT
[0.538/2012]

2 comentários:

Luís Coelho disse...

De há uns tempos a esta parte os noticiários fabricam notícias com que nos vão bombardeando vezes sem conta destro no mesmo jornal. Acontece que as pessoas se cansaram dessas mentiras e acabam por mudar de canal.

Parece também que alguns dias as palavras e as repetições parecer se pedidas e organizadas por gente do partido do governo. Sendo assim estamos no descrédito total...

luis reis disse...

Olhe eu já vi enterros mais "alegres"...