domingo, 25 de novembro de 2012

Concurso de Natal

Coelho óculosDepois de se ter anunciado que a estrela de Natal era um cometa e que a vaca e o burro não podiam existir no presépio dado não haver animais naquela zona, entrou-se num impasse sobre a realização do concurso de Natal desta barbearia.

Também está em causa saber se o 25 de Dezembro é a data de aniversário do elemento central em questão o que, vindo de um alemão bem colocado na cena mundial, faz crer tratar-se de mais uma tramóia para nos lixarem outro feriado.

Decorrente destas dúvidas, das devidas dívidas que levaram à penhora fiscal do presépio da barbearia e tendo em consideração que só de pensar no rei mago das falinhas mansas e lentas se nos revira o estômago, o júri reunido em plenário decidiu não realizar este ano qualquer concurso de Natal, não deixando, no entanto, de atribuir uma vez mais o primeiro prémio ex aequo (desta feita aos não-concorrentes).

Foi o que se pôde arranjar. Não adianta o ranger de dentes porque se os Homens não choram perante a canalhada que nos anda a governar, não há-de ser por isto que deverão chorar.
LNT
[0.597/2012]

10 comentários:

Helena disse...

Ó Luís, que desconsolo!
Olhe que ainda sobrou a virgem. Nem sequer se tenta a fazer um concurso de virgens?

Luis Novaes Tito disse...

Isso não existe!
Não se esqueça que estes concursos são para maiores de 18 :)

Maria disse...

Virgens? Que é isso?
Lembrei-me agora de uma frase, que esteve em voga, nos maravilhosos anos 60: "A virgindade é uma doença. Vacina-te."
A vacina resultou.
Maria

Helena disse...

Estou a ver que nem um milagre salva este concurso. Que pena!
(Mas ó Luís, reconsidere: já pensou, se lhe dessem 100 virgens neste Natal?)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ó Luís, então isso faz-se aos clientes? Que o Coelho não dê presentes de Natal à filha, por causa da crise, ainda se compreende, agora que a sua barbearia ponha os clientes a pão e água é que não havia necessidade...
Não me diga que também aumentaram o IVA das barbearias!
Abraço

Joana Lopes disse...

Faço minhas as palavras da Helena, Luís: reconsidere!
Por exemplo: haverá sempre palhinhas no presépio. A palha a concurso - dá pano para mangas!...

Luis Novaes Tito disse...

Oh Helena, tenha pena!
Para que é que eu quereria 100 virgens?
Deus me livre...

Luis Novaes Tito disse...

Pois, Maria.
Com tanta vacina disponível alguém quererá ficar doente?

Luis Novaes Tito disse...

Carlos,
A questão tem a ver com o facto do fisco ter penhorado o presépio desta loja.
Quanto ao Coelho, é pena que não dê algum presente às suas (dele) filhas, mas as miúdas já devem estar habituadas às maldades do papá.
Até porque o melhor presente que o Coelho podia dar a toda a gente era ir para casa brincar com as barbies das miúdas e deixar-nos em paz.

Luis Novaes Tito disse...

Joana,
O júri está de novo reunido para reconsiderar. Sobre as palhinhas já concluiu não poder ser porque o Governo cairia aqui em peso para se banquetear na manjedoura.
As decisões finais serão tomadas nas próximas 24 horas, para comemorar a aprovação do OE 2013.