segunda-feira, 12 de Novembro de 2012

Lindos de morrer

Cavaco e MerkelEle (para ela): Vais comer um cabritinho a São Julião?
Ela (para ele): Juliau? Was queres dizierr com Juliau?

Ele (para ela): Julião, não sabes, mas cabritinho não se te escapou.
Ela (para ele): Einsnibal! ainda no m’eixpliscaste que ser Juliau.

Ele (para ela): Não te posso explicar, Angelinha. Se tu soubesses ias preferir comer o cabritinho na Cova da Onça.
Ela (para ele): Eixplica sim, Einsnibal, por favorr. Eu querrer saberr porrque estás já a pegarr nesse nako de bolo-rrei parra encherr a boca. Cheirra-me à marrosca.

Ele (para ela ainda com o naco de bolo-rei na mão): Se te disser não pões o Pedrito de castigo?
Ela (para ele): Disparrate. Punha lá o meu garina de castigo. Erra lá capaz de castigarr o benjamim que põe o povo a pão e água e põe a sua Reichskanzler ao pé da água a comerr cabrtita com sopas de cavalo-cansado da Bacalhôa 2009.

Ele (para ela): Então aqui vai. Mas se ele te perguntar como soubeste, dizes que foi a Manuela Ferreira Leite que te disse, combinado?
Ela (para ele): Combinada.

Ele (para ela já a mastigar o naco de bolo-rei): Antes de ti, o último chefe de estado que esteve em São Julião foi o Kadafi e dizem que a partir desse momento a vida lhe começou a correr menos bem. O Paulinho também viveu por lá uns tempos, quando foi Ministro dos não sei quê e do Mar, e quando deu por ele já estava despedido.
Ela (para ele): Ich no perrcebo nada do que tu me dizerr. Já chega desta converrsa de gatafunhas e vamos ao cabrrito e à vinhaça.
Nun, Herr Präsident Einsnibal, zunächst ganz einfach auf wiedersehen und danke.
LNT
[0.568/2012]

1 comentário:

Maria disse...

Espero pelo milagre de São Julião.
Maria