quinta-feira, 25 de abril de 2013

O Abril a que chegámos [ I ]

Cravo Branco 1. Como o Primeiro-ministro não tem voz na Assembleia da República, em cada 25 de Abril, o Presidente da República transformou-se no seu porta-voz.

2. Com os espaços públicos ocupados pelo poder e os seus jardins fechados aos cidadãos assistiu-se a uma democracia blindada e refugiada no bunker de São Bento onde todos os poderes foram invadidos pelo sentido de facção.
O Presidente conseguiu confirmar o seu discurso da noite da vitória eleitoral onde tinha afirmado ser só o presidente de alguns portugueses.

(Post a crescer ao longo do dia)
LNT
[0.074/2013]

2 comentários:

Anónimo disse...

Então, e desta vez o Seguro não bateu palmas?!...
É que no outro discurso, Seguro foi o único deputado de Esquerda que aplaudiu cavaco, dando assim uma grande ajuda à ascensão ao poder desta corja de fascistas!

Luis Novaes Tito disse...

Oh anónimo, concentre-se. A sua vontade de se centrar em Seguro fá-lo esquecer do principal.