terça-feira, 11 de Junho de 2013

Em casos desta sorte duvidosos *

Camões
O período mais fecundo é aquele que decorre entre o momento em que se entrega o boletim do Euromilhões e o outro em que sabemos que os números que saíram não são os que registámos.

Esse (entre)tempo de esperança, de adivinhação e de futuro, permite-nos esquecer o presente e fazer o planeamento do imaginário.

É nessa mesma onda de pensamento que nos devemos centrar na discussão do pós-troika, principalmente para disfarçar que nunca se tenha pensado o durante-a-troika.

Se o período durante-a-troika tivesse sido um tempo de reforma e de retoma em vez de ter sido um período de austeridade e de cinza, o pós-troika não estaria em agenda.
LNT

* Os Lusíadas II-7-4
[0.167/2013]

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Na mouche, Luís
Abraço

Luis Novaes Tito disse...

Andam sempre a empurrar com a barriga para que se não veja o tamanho a que a barriga chegou. Se fossem só inúteis, ainda escapava, mas a onda de destruição não tem perdão.