sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Parabéns, excelência

Paulo PortasCom um dia de atraso não quero deixar de enviar uma saudação especial ao nosso irrevogável e atarefadíssimo Vice-primeiro-ministro, excelência, pela superação do quinquagésimo primeiro aniversário do seu nascimento.

É uma saudação fraterna e sincera pois sei quão difícil é andar por estes entas e ainda ter de apanhar puxões de orelhas de quem não faz a mínima ideia que as orelhas não servem para ser puxadas mas sim para se lhes cochichar.

No fundo, fundo mesmo, é uma massagem ao meu próprio ego porque nunca tinha tido a oportunidade de saudar e felicitar, nem mesmo na minha qualidade de antigo aluno do colégio onde os dois estudámos, alguém tão importante como Vexa, excelentíssimo Vice-primeiro-ministro.

Já agora, evocando Natália que hoje faria mais uns tantos entas que Vossa excelência, e aproveitando-me dos atributos de língua que ela tinha e que nunca conseguirei igualar, deixo-lhe o seu sentimento trágico da vida:
Não há revolta no homem / que se revolta calçado.
O que nele se revolta / é apenas um bocado
que dentro fica agarrado / à tábua da teoria.

Aquilo que nele mente / e parte em filosofia
é porventura a semente / do fruto que nele nasce
e a sede não lhe alivia.

Revolta é ter-se nascido / sem descobrir o sentido / do que nos há-de matar.

Rebeldia é o que põe / na nossa mão um punhal
para vibrar naquela morte / que nos mata devagar.

E só depois de informado / só depois de esclarecido / rebelde nu e deitado / ironia de saber / o que só então se sabe / e não se pode contar.
LNT
[0.296/2013]

2 comentários:

O carteira vazia disse...

ai aquele dedinho tão maroto!! :D

http://ocarteiravazia.blogspot.pt /

Zé Escorpião disse...


Só é pena, que o desmancha prazeres do Dr. Durão, o tenha contrariado, no alargamento de 4 para 4,5% no défice para 2014. Só é pena, que agora que está a ficar mais sensato, continue a baixar nas intençõp4es de voto. Talvez seja o fruto das muitas piruetas politicas que tem dado ao longo da sua carreira politica. Mas será uma questão de tempo. Agora vou ser feliz para Cabanas, para as Pedras da Rainha, longe de jornais, telejornais, autárquicas e tudo que seja politica. De caminho vou saber da saúde do nosso amigo Jumento.