quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Reality Show

Coelho
Não vi nem verei, porque detesto reality shows, a encenação madura que a RTP passou ontem tendo por protagonista um artista de segunda categoria.

Dizem-me que não foi um espectáculo de ilusionismo porque o coelho da cartola andava à solta pelo palco e o influente (e activo) mágico da farsa manteve-se na regie da marquise do Possolo.

No entanto gostaria de saber quais foram os critérios de escolha dos figurantes e quem escreveu o guião das falas e deixas com que eles tiveram de alombar.
LNT
[0.371/2013]

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro Luís
Não pretendo usara Barbearia para fazer publicidade mas, se me permite, indico-lhe o caminho para as respostas às perguntas que aqui deixa:
http://cronicasdorochedo.blogspot.pt/2013/10/a-sala-das-perguntas-novo-talk-show-da.html

Abraço

Luis Novaes Tito disse...

Caro Carlos
Em primeiro lugar para lhe dizer que será sempre bem-vindo a esta barbearia para fazer e dizer aquilo que lhe apetecer. Esteja à-vontade porque as ligações para o Crónicas são sempre um valor que aqui acrescenta.
Lá fui ler as respostas que pedi e fiquei elucidado. Tratou-se mesmo de um Reality Show bem formatado e ensaiado à laia de qualquer "casa dos segredos" que se preze. Já agora gostava de ter ideia das audiências (o que ainda poderá ser possível) mas principalmente gostaria de saber qual foi a cadência e frequência com que os espectadores terão usado a palavra "aldrabão" e "vigaro" (entre outros mimos que imagino mas que aqui me abstenho de mencionar)
Abraço.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Obrigado, Luís
As audiências estiveram abaixo das telenovelas da SIC e da TVI. Quanto ao resto, não sei, mas a avaliar por mim, presumo que tenham sido palavras usadas a bom ritmo.
Aliás, o Negócios hoje faz uma análise às petas que ele disse, que merece a pena ler...
Abraço