segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Porque é que António Costa ganhou

CostaNo trilho de desvalorizar a vitória do Partido Socialista faltava-me ler ou ouvir a famosa máxima de que “não foi X que ganhou mas Y que perdeu”. Agora que já tive a oportunidade de a ler, o panorama está completo.

Certo é essa máxima ter o mesmo valor que a expressão “vale o que vale” ou o outro que os enchedores de chouriços dão às tripas sintéticas.

Adelante!
Interessa saber porque é que António Costa ganhou Lisboa.

As razões são claras: Ganhou porque Costa fez um excelente trabalho nos mandatos anteriores. Ganhou porque teve uma equipa de grande qualidade a trabalhar com ele. Ganhou porque os eleitores alfacinhas reconheceram nele e na sua equipa, gente capaz de gerir a Capital de Portugal.

Reforçou a sua votação porque os lisboetas entenderam que só com maioria absoluta, também na Assembleia Municipal agora presidida por Helena Roseta, se acabariam os entraves anteriormente levantados para impedirem o trabalho profícuo que no município se tem desenvolvido.

Nem os cidadãos de Lisboa estavam interessados em dar-lhe o seu voto, nem teriam elegido tantos presidentes de Junta de Freguesia se tivessem em agenda catapultar António Costa para fora da CML.

O que vier daqui a três anos, quando a Presidência da República ficar ainda mais vazia do que já está hoje e tiver de se abrir concurso para a vacatura, será bem-vindo porque estaremos no limite deste mandato e haverá um substituto natural preparado para substituir António Costa.

Sem se aperceberem, ou percebendo e não se contentando em desvalorizar a vitória nacional do PS, pretendem também desvalorizar o reconhecimento pelo meritório desempenho desta equipa que os cidadãos de Lisboa consagraram no sufrágio. Como se os boletins de voto autárquicos se destinassem a outro fim que não o de eleger os candidatos do poder local e a penalizar quem tão mal tem exercido o poder.

Costa ganhou Lisboa pelo seu mérito e pelo mérito reconhecido a toda a equipa que o acompanhou. Ficam os eleitos de parabéns pelos bons resultados conseguidos e os cidadãos de Lisboa por terem acertado em tão feliz escolha.
LNT
[0.337/2013]

Rescaldos [ VII ] – O BE

Apontamentos

Pum!

LNT
[0.336/2013]

Rescaldos [ VI ] – O Alberto João

Apontamentos
As notícias de que o homem morreu são manifestamente exageradas. Em política só se morre quando se deixa de estar vivo e esse estado nota-se quando os olhos ficam fixos num ponto do horizonte.

Pelo que se viu nas imagens, Alberto João ainda consegue mover os olhos e carregar as sobrancelhas enquanto expele veneno.
LNT
[0.335/2013]

Rescaldos [ V ] – O PCP

Apontamentos
O outro vitorioso destas eleições. O PCP é tradicionalmente vitorioso mas desta vez até conseguiu canalizar muitos dos votos de protesto (ainda bem) e com isso recuperou alguns dos seus tradicionais redutos.

De resto, mesmo quando não venceu, ou mesmo quando andou muito longe disso (como foi no caso de Lisboa), conseguiu transmitir que tinha reforçado o seu lugar de oposição.
LNT
[0.333/2013]

Rescaldos [ IV ] – O PS

Apontamentos
O grande vitorioso da noite eleitoral continua a ouvir os comentadores dizerem que foi derrotado ou, pelo menos, que a sua vitória foi coisa sem significado. Seguro perdeu em todas as Câmaras onde o PS perdeu e perdeu em todas (a maioria) as Câmaras onde o PS venceu porque aí quem ganhou foram os candidatos do PS.
Confusos? Nem por isso, já sabemos a música de cor.

Teremos de aguardar pelas legislativas que nos darão um Governo do PS com Seguro à frente (será um dos melhores Governos de sempre) e um Presidente da República decente onde António Costa provará que, se o cargo for bem desempenhado, o Tribunal Constitucional deixará de ter de substituir o Presidente da República nos seus silêncios.
LNT
[0.331/2013]

Rescaldos [ III ] – O CDS

Apontamentos
De uma só cajadada matou dois coelhos. Colocou-se em bicos de pés para reclamar uma vitória contra o seu Primeiro-ministro no Porto. Encostou-se à penta vitória solitária para desvalorizar o total desaire que obteve onde concorreu coligado fazendo entender que os seus eleitores não gostam de ver o CDS ao colo do PSD.

Até poderá continuar a servir de muleta a Passos Coelho, contrariando a vontade dos seus correligionários, mas o PSD vai ter de lhe dar muito mais. A partir de agora a Dr.ª Luiz e o QREN vão ter de entrar na linha do Caldas. As graçolas de Coelho sobre a responsabilidade do desaire anunciado vão ter de acabar, senão ...
LNT
[0.329/2013]

Rescaldos [ II ] – O PSD

Apontamentos
Levou uma valente paulada (Carlos Abreu Amorim vai entrar em dieta, o que a ele só fará bem e para nós é uma óptima notícia).

Passos Coelho, tutelado por Cavaco Silva, fez saber que o rumo é para seguir. Sempre em frente, até ao esborrachamento na parede que tanto o atrai.

Paulo Portas puxou pelos galões e deixou cascas de banana irrevogável e criteriosamente dispostas por todos os becos desse rumo.
LNT
[0.328/2013]

Rescaldos [ I ] – a Coligação do poder

Apontamentos
A coisa abanou e ainda vai abanar mais.
A coligação perdeu em todo o terreno e isso vai fazer mossa ao acordo do poder.

Portas não perdeu tempo para informar o seu parceiro de que sai desta contenda com valor reforçado. Isso é só o que lhe interessa, é a sua missão patriótica e o brilhozinho nos olhos que ontem o fez gargalhar na comunicação ao País é a marca indelével de que continua a ser um adepto da vichyssoise.
LNT
[0.326/2013]

Autárquicas 2003 [ IV ]

Autárquicas 2003Nas Freguesias de Lisboa foi assim:

PS - Ajuda, Alcântara, Alvalade, Arroios, Beato, Benfica, Campo de Ourique, Campolide, Lumiar, Marvila, Misericórdia, Olivais, Penha de França, Santa Clara, Santa Maria Maior, São Domingos de Benfica, São Vicente.

PSD/CDS/MPT - Areeiro, Avenidas Novas, Belém, Estrela, Santo António.

PCP/PEV - Carnide.

Independentes - Parque das Nações.
Fonte: Autárquicas 2013
LNT
[0.325/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXXVI ]

Golfinho
Jardim Zoológico - Lisboa - Portugal
LNT
[0.324/2013]

domingo, 29 de setembro de 2013

Forrobodó

Palácio das Laranjeiras

Talvez ainda seja cedo para tirar conclusões, mas parece-me que esta foto tirada hoje no Jardim Zoológico de Lisboa não poderia ser mais premonitória.

A indicação de saída do Palácio de Farrobo (onde Portas se alojou para o exercício da magnífica mordomia de Vice-primeiro-ministro e de onde iria coordenar Portugal com a Troika e reformar o Estado português) faz adivinhar alguma coisa se lhe somarmos o desaire eleitoral que se anuncia para um dos Partidos da coligação do poder.

A ver vamos.
LNT
[0.323/2013]

Autárquicas 2003 [ III ]

Autárquicas 2003Bocas da clientela na barbearia:

- Como era de esperar a CDU anunciou um reforço em Lisboa. Não especificou que é um reforço de oposição, mas a isso já estamos habituados.
- O elevador de Sintra/Lisboa só tinha o botão para os pisos negativos. Seara passou a ser vereador em Lisboa. A vereação está reforçada com mais um Benfiquista. Viva o Benfica.
- O Menezes ainda está a chorar? Ainda não se recompôs para falar aos portuenses?
- Parabéns a todos os concorrentes em Lisboa e muito em especial aos eleitores que tiveram o bom senso de dar a maioria absoluta a António Costa.
- É verdade que o Isaltino voltou a ganhar Oeiras, o Concelho português com mais licenciados? Depois queixem-se do Prof. Crato querer acabar com a escola pública.
- Impressionante é ter nas televisões os comentadores do regime a tentarem explicar que o PSD (que neste momento tem menos 10% que nas anteriores autárquicas) não perdeu tanto com isso.
- Já repararam que não se fala do CDS? Ninguém refere o espetanço do irrevogável Portas? Será por ele ter visto reforçado o seu valor neste Governo?
- Viva o Costa. Aí está ele.
- Fala o Coelho. O grande derrotado deste sufrágio. Aposto que vai dizer que não cederá à vontade popular. Vai dizer que está no bom rumo até à derrota final.
- Interessante foi verificar que Coelho foi o único que até agora não viu o seu discurso interrompido com a habitual frase jornaleira: Agora que já ouvimos o essencial das suas declarações..."
- A Anabela da RTP tem de entender por uma vez que Costa será o próximo Presidente da República, em vez de andar na intriguinha que vai por aí.
- O lugar de Presidente da República é essencial. O País nunca estaria como está se Cavaco não tivesse sido eleito Presidente.
- 143 Câmaras Municipais, diz Seguro. Ainda há quem duvide da vitória destas eleições? Os eleitores ganham sempre, mesmo quando há umas elites por aí que se julgam superiores.
- O Bernardino está quase tão exuberante como o Portas. Também ele conseguiu derrotar o PS.
(em actualização)
LNT
[0.322/2013]

Autárquicas 2003 [ II ]

Autárquicas 2003Percentagem de votação nos anos anteriores:
2009 - 59,01%
2007 - 36,71% (Intercalares - Lisboa)
2005 - 60,98%
2001 - 60,12%
Fontes: CNE (a funcionar com intermitência) e Autárquicas 2009
LNT
[0.321/2013]

Autárquicas 2003 [ I ]


Estranho que não tenha sido amplamente divulgado o endereço do site onde se acompanham as eleições online.

Fica o endereço para os interessados. - autarquicas2013.mj.pt

Ás 16:00 horas a afluência nacional era de 43,43%.

Poderá acompanhar também os resultados em http://resultados.ps.pt/
LNT
[0.320/2013]

Já fui (muito) feliz aqui [ MCCLXXXV ]

Dong
Ding-Dong - 2 anos - Portugal
LNT
[0.319/2013]

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Alerta

Cobra RatosAtenção senhores candidatos independentes.
O prazo de refiliação nos Partidos termina na próxima semana.
Não se esqueçam que nas legislativas só podem concorrer os Partidos Políticos.
Depois não se queixem por não terem sido avisados.
LNT
[0.318/2013]

Frases previstas para Domingo

UrnaVenho agradecer a todos os que declaram que no próximo Domingo não irão votar, ou que votarão branco ou nulo. Assim o meu voto valerá mais. Obrigado pela confiança que em mim depositam.

Aproveito para deixar uma previsão para as frases que se ouvirão após o anúncio dos resultados eleitorais:
CDS - argnhoftruz
PSD - Não resulta daqui qualquer leitura nacional
CDU - Ganhámos mais uma vez
BE - zurtfohngra (que é o contrário do argnhoftruz do CDS)
PS (oficial) - foi uma vitória do povo português
PS (o outro) - Tratou-se de vitórias pessoais e da derrota do líder.
MRPP - Ninguém há-de calar a voz da classe operária (nem mesmo os operários)
Restantes - ...
Partido de Belém - Não presto declarações enquanto estou a comer bolo-rei
LNT
[0.317/2013]

Sai uma imperial para a mesa do canto

Tá de chuvaSem referir que o Governo comete ilegalidades sucessivas, o Ministro das Cervejas e dos Refrigerantes comunicou que o Governo só é responsável por aquilo que decide.

"Ao Governo só se podem pedir responsabilidades daquilo que depende da vontade do próprio Governo".

Fiquei sem entender, porque Pires de Lima não concretizou melhor, se estava a sacudir a água do capote em relação a algumas normas do Código Laboral chumbadas pelo Constitucional remetendo para a Assembleia da República a responsabilidade (Marques Guedes tinha afirmado que: "A legislação que estamos a falar não é um diploma do Governo, é um diploma da Assembleia da República (...)"), ou se estava a fazer o costume deste Governo, isto é, a sacudir a água do capote e a desculpar a prepotência com que comete os atropelos da Lei (como se não vivêssemos num Estado de Direito) para puder justificar a sua incompetência com a reposição da legalidade imposta pelo Tribunal Constitucional.

De qualquer forma o que importa é reter a frase de Pires de Lima, independentemente daquilo a que se referia, porque comporta o sentimento habitual do "passa-culpas" que caracteriza este executivo incapaz.
LNT
[0.316/2013]

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Boletim de saúde asinino [ IV ]

JumentoComo o boletim clínico de o Jumento ficou lá para baixo numa caixa de comentários, puxo-o ao corpo do blog para melhor visibilidade.

Abraço ao VS a quem continuo a desejar rápida recuperação e agradecimentos ao J. Pirão.
"Informo que falei ontem pelo telefone com o VS, que foi transferido para o centro de reabilitação de São Brás de Alportel, onde deverá ficar durante duas semanas até à recuperação final.
Espera-se que volte ao nosso convívio bloguístico dentro em breve.
Melhores cumprimentos
J Pirão"
Anteriores: [ III ]; [ II ]; [ I ]
LNT
[0.314/2013]

A certeza nas dúvidas

DesdentadoEm Portugal é quase sempre difícil fazer uma análise correcta porque os dados fornecidos nunca comportam o rigor que permite saber a verdadeira extensão das questões.

Vem isto a propósito do tão propalado decréscimo de nascimentos e das gravíssimas consequências que advirão.

Lê-se no Expresso que se chega aos valores conhecidos com base na quantidade de testes do pezinho que têm sido realizados (não poderia haver melhor indicador?) e mistura-se tudo isso com os nascimentos dos descendentes imigrantes que retornam aos seus países e com a emigração que está a levar hordas de casais jovens (sem se pronunciar, p.e., sobre os nascimentos que esses casais promovem no exterior).

O problema é um dos mais graves devido às suas consequências, porque o decréscimo de natalidade vai por em risco todo o equilíbrio que sustém o nosso padrão de vida.

Estes estudos deveriam ser encarados com maior seriedade e deles deveriam resultar propostas para medidas eficazes. Termos o nosso destino na mão de contabilistas que só falam de tostões sem revelarem qualquer visão de futuro vai acabar por nos custar muito caro.
LNT
[0.313/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXXIII ]

Feira da Luz
Feira da Luz - Lisboa - Portugal
LNT
[0.312/2013]

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Nem com os santinhos

Santos Feira da Luz

Topete, é preciso ter um grande topete, Nando.

"Residências sociais para os mais carenciados"

Palpita-me que nem com a intercessão de São Francisco e de São Lourenço te safas de que digam que estás a cometer mais numa incorrecção factual, Nando!
LNT
[0.311/2013]

Portem-se bem, meninos

Portas CoelhoDesta vez Coelho, farto de mandar avisos a Portas para se portar com juizinho e deixar de ser piegas, pediu ao seu amigo Draghi para lhe mandar o recado de que quem aqui manda são os "mercados".

Portas não perde uma única oportunidade de ser enxovalhado publicamente e Passos Coelho não perde uma única oportunidade para lhe dar um carolo. Já tinha anunciado por interposta pessoa (Moreira da Silva) que a época era de pouco barulho e já havia dito directamente a Portas que tudo iria fazer para lhe assacar responsabilidades caso as coisas viessem a ter um desfecho pouco abonatório para o desempenho do executivo.

Muito se deve rir, na toca onde se escondeu, o primo de Louçã.
LNT
[0.310/2013]

António de Lisboa

António CostaNa recta final desta campanha para Lisboa tudo se encaminha para que António Costa venha a ser reeleito Presidente da Câmara Municipal. Helena Roseta será a Presidente da Assembleia Municipal e o nº 2 de Lisboa será Fernando Medina.

Pode-se dizer que a nossa capital ficará em boas mãos e ficará melhor ainda se nas Juntas de Freguesia (Assembleias de Freguesia), que foram reestruturadas e objecto de uma verdadeira reforma da administração local alfacinha no mandato anterior, se conseguir um resultado que permita a gestão harmoniosa do nosso Concelho.

No entanto, para lá chegarmos, há que dar satisfação ao apelo de Costa que, directamente, se dirige aos seus eleitores dizendo que Precisa do seu voto no próximo Domingo. A abstenção não basta e as eleições só se ganham com votos favoráveis. As sondagens só têm valor no dia anterior e a nossa participação é fundamental.

Todos passamos por um momento especialmente difícil mas está na nossa mão, pelo menos naquilo que nos é mais próximo, tentar dar-lhe a volta.
LNT
[0.309/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXXII ]

Pegadas
Banhos bons - Algarve - Portugal
LNT
[0.308/2013]

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

A gargalhada do profeta Gaspar

Gaspar Passos Relvas

Não se entende o gozo de quem dá como erradas as previsões gasparinas de que hoje, dia 23 de Setembro do ano da graça de 2013, regressaríamos aos mercados. Todos nos lembramos do elevado sentido de humor de Vitor Gaspar, um humor de piadas secas, como diziam as minhas filhas quando andavam a estudar para doutoras, mas para todos os efeitos um humor reconhecido por todo o Mundo como se comprova pelas audíveis gargalhadas que se têm ouvido nos últimos tempos em todas as praças financeiras.

No anúncio então feito pelo humorista estava pressuposta a realização das autárquicas neste fim-de-semana e, tal como profetizado, não faltam candidatos de todas as cores e feitios a passearem pelas pedras do peixe ou pelas bancas de nabos, alfaces e tomates do norte ao sul de Portugal.

O retorno aos mercados comprovou-se até com a aparição do Paulinho nas Feiras. Confirma-se que o ex-ministro das finanças e o Coelho que o pariu são uns verdadeiros bruxos. Ao pé deles Marques Mendes e o Professor Marcelo não passam de aprendizes de feiticeiro.
LNT
[0.307/2013]

Ein Volk, ein Reich, ein Bundeskanzler

Merkel - Governo Português
Leio quem sabe de eleições no Deutsches Reich e fico inteirado de que o sufrágio seria sempre ganho pela mamã Merkel, fosse ela do Partido que fosse. Foi “a senhora que saltou o muro no seu desmoronamento” a única a ganhar, com o pormenor de ter tido quase tantos votos como todos os partidos da oposição, tendo isso ficado a dever-se ao estilo matriarca que cultiva, coisa especialmente apreciado na terra em que os Porches e os Volkswagen andam de mão dada na musculatura das oficinas.

Uma não novidade para os alemães, uma felicidade para os Andeiros dos novos povos do Reich que têm as mesmas certezas de outros, em idos do século XX, que arreavam de coluna vergada ante o peso do aço florescente pela força da inteligência e pelo suor dos submetidos.

É por isso, apesar do prometido regresso aos mercados marcado para hoje não passar de uma miragem sinistramente anunciada quando Gaspar deu de frosques, que há tantos sorrisos obedientes e embevecidos nos dirigentes dos povos madraços da margem norte do mediterrânio.

Toda esta imensidão de mar é Europa, segredam à mamã, tudo isto pode ser vosso, senhora nossa mãe, se em troca nos prometer a liberdade de a poder continuar a servir e a engordar.
LNT
[0.306/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXXI ]

Reguengos
Reguengos - Alentejo - Portugal
LNT
[0.305/2013]

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Galerias romanas de Lisboa

Galerias Romanas

Oh menina não saia ainda que vem aí o 28.

A fila vai até à Praça da Figueira. Tudo para ver as galerias romanas que todos os dias são ignoradas debaixo dos nossos pés nesta baixa pombalina a aguardar eleições.

Na recolha das imagens um curto circuito pela Rua da Conceição, Rua da Prata, Rua do Comércio , Rua dos Fanqueiros e Rua dos Bacalhoeiros que agora tem, de vez em quando, um paquete de cruzeiro a servir de topo.

Desembarcam aos milhares de pernas ao léu em busca dos cheiros, cores e latas de sardinha.

Vêm ver a crise sem saberem que os monos do capital internacional estão ali ao lado, no Terreiro, para nos acertarem o passo. Também pouco lhes interessa, assim fica mais barato.

Oh menina, cuidado com o 28.

Cuidado, duplamente, com os carteiristas. Os da gravata e os outros.
PS: O gato e a paisagem do Tejo são só para disfarçar.

Galerias Romanas
LNT
[0.304/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXX ]

Botero
Botero - Palácio da Ajuda - Lisboa - Portugal
LNT
[0.303/2013]

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

do you mean it? Yes, if you…

BlairDeixem-se de luxos!

Se querem saber usar a informática e dominar a língua internacional dos negócios e da ciência façam o favor de meter explicações porque não se pode comparar o que não é comparável e, por isso, comparar um pobre com um rico é um absurdo.

O Sócrates também não tinha inglês (o inglês técnico não conta) e chegou a Primeiro-Ministro e o nosso Cherne Europeu só lá chegou porque parlava franciês que foi o único requisito que lhe exigiram quando quis zarpar da tanga.

Afinal para quê aprender inglês se o que se pretende exportar de futuro são emigrantes como os que se exportavam no saudoso tempo? Para quê gastar dinheiro com essas minudências no público se há tanta oferta privada no mercado? Para quê ensinar essa língua-de-trapos no tempo global em que os trapos são feitos na China? E com tantas inglesas nos areais do Algarve para que seria necessário estar a desperdiçar recursos necessários à contratação dos especialistas acabados de formar nos gabinetes ministeriais em professores de yankee que ensinam uma língua que se aprende em qualquer discoteca ou videogame?

Se os exames, que são a única reforma do eduquês que interessa, fossem todos em inglês ainda ia, mas sendo em acordês ortográfico...
LNT
[0.305/2013]

A uns pedaços de merda

BritesPoderia ter também por título: A uns pedaços de asno convencidos que são gente só porque somos mansos, nos encolhemos e não os corremos a pontapé.

Não transcrevo Ferreira Fernandes porque penso que quem quiser ler a sua carta aberta de hoje (no DN) deve seguir o link e carimbar comentários, partilhar o texto e fazer o diabo a sete para explicar aos excelentíssimos troikos, aos Coelhos, aos Portas, aos Silvas (lembram-se da frase usada (não insultem os mercados) pelo nosso ilustre Mais Alto Economista Aposentado da Nação quando apoiou a entrada da cavalaria internacional?) que os ratinhos brancos afinal estão bem da audição e a causa de terem deixado de correr foi por os terem amputado. Sem patas, inviabilizaram-nos a corrida.

O que realmente é estranho é que, mesmo depois de tudo isto, o Primeiro-Ministro insista na receita e continue a afirmar que o caminho até agora seguido é para continuar embora já seja reconhecido como mau pelos nossos credores do FMI e pelo seu primeiro mentor nacional (Gaspar) na carta de mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa com que se retratou e retirou.

Este comportamento dará uma vez mais razão à profecia?:
"A sua influência (dos retornados) na sociedade portuguesa não vai sentir-se apenas agora, embora seja imensa. Vai dar-se sobretudo quando os seus filhos, hoje crianças, crescerem e tomarem o poder. Essa será uma geração bem preparada e determinada, sobretudo muito realista devido ao trauma da descolonização, que não compreendeu nem aceitou, nem esqueceu. Os genes de África estão nela para sempre, dando-lhe visões do país diferentes das nossas. Mais largas mas menos profundas. Isso levará os que desempenharem cargos de responsabilidade a cair na tentação de querer modificar-nos, por pulsões inconscientes de, sei lá, talvez vingança!"
Natália Correia
LNT
[0.304/2013]

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Extraordinário e colossalmente Imposto

BichoCavaco deixou fugir a boca para a verdade, sendo que essas fugas nunca lhe são inocentes. Lembrem-se que "nunca tem dúvidas e raramente se engana" o que faz destes deslizes coisas pouco inocentes.

O assunto interessa-lhe especialmente porque a tença que recebe do Banco de Portugal (excepcionalmente rosalina) substitui o pecúlio barato atribuído ao mais alto magistrado da nação. Deveria, por isso, ter feito uma declaração de interesses mas adelante que esta matéria não é para aqui chamada.

A verdade é que Cavaco, o Presidente eleito porque precisávamos loucamente de ter um economista, financeiro, ou lá o que é repimpado no alto cargo, deveria saber distinguir Imposto de Taxa, uma vez que o assalto aos reformados do estado tem por fundamento o facto de ser uma prestação coactiva bilateral, no conceito rosalino, dado destinar-se a atribuir uma benesse da Caixa Geral de Aposentações (em extinção desde 2006) a inúteis, exploradores, calões, etc., que formaram milhares de alunos, trataram de milhares de doentes e prestaram os mais diversos serviços a toda a comunidade.

Não perceberam, não é? Não faz mal. Isto nunca se pretendeu que fosse percebido, até porque, ao contrário da Segurança Social, o Estado nunca comparticipou com a cota que todas as outras entidades empregadoras estão obrigadas a comparticipar para garantir as reformas.

Também não se pode pedir aos rosalinos do Banco de Portugal que tenham melhor entendimento porque eles próprios estão excluídos da função pública, embora se sentem à mesma mesa.
LNT
[0.302/2013]

A oitava e a nona sinfonia burrical

Olho MãoA bem da língua, do Pico e do sossego que burramente se instalou nos plurais portugueses façam o favor de ler Cristóvão de Aguiar.

Sem se zangarem, porque temos sempre a aprender com quem sabe ensinar, corrijam.
LNT
[0.301/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXVIII ]

Lisboa
Rua Sousa Loureiro,10 - Lisboa - Portugal
LNT
[0.300/2013]

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Boletim de saúde asinino [ III ]

JumentoFica só a nota para informar os muitos que por aqui têm passado em busca de novidades, de que o autor do mais famoso Jumento dos blogs portugueses continua em recuperação com prognóstico físico e anímico favorável.

Continua de molho pelos "só tem vento", mas deixa-nos na espectativa de, mais dia - menos dia, voltar à Capital e à carga no palheiro.

Grande abraço ao VS a quem se deseja pronto restabelecimento.
LNT
[0.299/2013]

O stress e os troikos

Beijo dinheiroDiz-se por aí que a rapaziada a quem pagamos dinheiro ao preço do ouro já desembarcou na Portela. Vêm a rogo dos senhores do Mundo para meterem os tugas na ordem e verificarem se o programa do Governo está a ser cumprido.

Dito de forma diferente, vêm à Santa Terrinha verificar se Passos Coelho e Paulo Portas estão a cumprir o programa que decidiram (como o alto patrocínio de Cavaco Silva) para quatro anos e que justificam como sendo uma imposição dos nossos credores, uma vez que não foram eleitoralmente mandatados para o levar a cabo, dado não terem sido sufragados por ele, mas sim por um programa eleitoral que deitaram para o lixo no dia em que tomaram posse.

No entanto o Governo tem aqui um problema. Habituado que está a não cumprir o que quer que seja em relação às promessas que o guinou ao poder, é também incapaz de obter sucesso com as políticas erradas conducentes ao empobrecimento contidas no seu programa de governo, o que o está a deixar pendurado perante os senhores do Mundo que até agora lhe serviram de escudo para o experimentalismo.

Quem já recorreu ao crédito sabe que os credores não impõem aos seus clientes que se desempreguem ou que passem a ter menos rendimentos porque pretendem ser ressarcidos do crédito acrescido dos juros do negócio. Não é possível acreditar que estes credores sejam tão estúpidos que imponham medidas e regras que inviabilizem o reembolso do capital e do correspondente valor acrescentado.

Chegou agora a altura de quem nos emprestou o dinheiro vir ver como as coisas estão a correr porque se aproxima o tempo do pagamento ou da penhora e, como é de finança internacional que se está a falar, de pouco servirão as habituais desculpas de mau pagador. Fica por saber se os credores se darão por satisfeitos com as compras das joias da coroa que já realizaram em território nacional a low cost e com a entrega da mão-de-obra qualificada formada a custos elevados e exportada a custo zero.

É isso que anda a por o nosso executivo em stress.
LNT
[0.298/2013]

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Parabéns, excelência

Paulo PortasCom um dia de atraso não quero deixar de enviar uma saudação especial ao nosso irrevogável e atarefadíssimo Vice-primeiro-ministro, excelência, pela superação do quinquagésimo primeiro aniversário do seu nascimento.

É uma saudação fraterna e sincera pois sei quão difícil é andar por estes entas e ainda ter de apanhar puxões de orelhas de quem não faz a mínima ideia que as orelhas não servem para ser puxadas mas sim para se lhes cochichar.

No fundo, fundo mesmo, é uma massagem ao meu próprio ego porque nunca tinha tido a oportunidade de saudar e felicitar, nem mesmo na minha qualidade de antigo aluno do colégio onde os dois estudámos, alguém tão importante como Vexa, excelentíssimo Vice-primeiro-ministro.

Já agora, evocando Natália que hoje faria mais uns tantos entas que Vossa excelência, e aproveitando-me dos atributos de língua que ela tinha e que nunca conseguirei igualar, deixo-lhe o seu sentimento trágico da vida:
Não há revolta no homem / que se revolta calçado.
O que nele se revolta / é apenas um bocado
que dentro fica agarrado / à tábua da teoria.

Aquilo que nele mente / e parte em filosofia
é porventura a semente / do fruto que nele nasce
e a sede não lhe alivia.

Revolta é ter-se nascido / sem descobrir o sentido / do que nos há-de matar.

Rebeldia é o que põe / na nossa mão um punhal
para vibrar naquela morte / que nos mata devagar.

E só depois de informado / só depois de esclarecido / rebelde nu e deitado / ironia de saber / o que só então se sabe / e não se pode contar.
LNT
[0.296/2013]

A lógica e as batatas [ IV ]

LógicaAs eleições servem para escolher quem tem poder e quem tem de ficar de poisio. Quem tem poder, pode, os outros arreiam.

Por isso há que mandar os Partidos que estão no poder para a oposição para os poder acusar de nada fazer.
LNT
[0.295/2013]

Em defesa da democratização dos urinóis

Sanita
Ainda um dia hei-de ouvir alguém a reclamar que as casas de banho das mulheres passem a ter urinóis.

Há coisas que, de tão evidentes, nem há pachorra para comentar.
LNT
[0.294/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXVI ]

Gaivota
Rio Gilão (maré baixa) - Tavira - Algarve - Portugal
LNT
[0.293/2013]

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

a tiny elite

Chapéu de coco(...) the very rich have recovered just fine from the Great Recession (...)

(...) We really are talking about the flourishing of a tiny elite.
PAUL KRUGMAN
LNT
[0.292/2013]

Vidinhas

LupaComo costuma meditar Ana Cristina Leonardoisto (e isto e ainda mais isto) anda tudo ligado.

Nota: parênteses meu
LNT
[0.291/2013]

A lógica e as batatas [ III ]

LógicaAs escolas têm pessoal auxiliar indispensável para o funcionamento mas há que reduzir os custos com pessoal na Administração Pública.

Por isso despeça-se esse pessoal e reduzam-se (nessa rubrica orçamental) os custos com o pessoal ainda que seja necessário ter custos maiores noutra rubrica contratando novo pessoal (ou o mesmo) em outsourcing.
LNT
[0.290/2013]

De director do Independente a amanuense engravatado

TridentePortas, o irrevogável, deixou de ser Ministro dos Negócios Estrangeiros porque nessa condição nunca conseguiu fazer política externa com os nossos parceiros europeus. Seguiu a coerente linha de que a Europa não é a estranja porque fazemos parte dessa União.

Portas, conforme por si divulgado, deixou irrevogavelmente de ser MNE porque nessa função era o número três da hierarquia e ambicionava ser o número dois ainda que ex-áqueo. Como a posição para o conseguir lhe era indiferente, prontificou-se a todas as sevícias desde que a solenidade lhe fosse garantida.

Portas, o irrevogável MNE, pôs-se a jeito (usando o léxico habitual do seu chefe) e o chefe, que logo na altura o informou de que a palavra de Portas tinha o mesmo valor que as palavras têm para o vento, ficou ontem a saber publicamente que é um desleixado por ter o trabalho de casa em falta e que aquilo que comunica ao País não tem qualquer relevância.

A bazófia e o pretensiosismo de Portas fê-lo refém submisso de Coelho. Passos não perde uma oportunidade para o reduzir à insignificância. É da vida.
LNT
[0.289/2013]

Já fui feliz aqui [ MCCLXXV ]

Cão Ria Formosa
Dar banho ao cão - Cabanas de Tavira - Algarve - Portugal
LNT
[0.288/2013]