quarta-feira, 9 de julho de 2014

Democracia

MagritteHá coisas em que temos de nos colocar de igual para igual para serem entendidas. Por isso tive de me pôr no mesmo plano, naquele plano onde um cidadão se consciencializa de que só tem um voto e que só é dono do seu voto e que para conduzir um processo tem de se disponibilizar com o intuito de agregar vontades.

Anda por aí muito boa gente que pensa ser dona dos votos dos outros e que, por isso, tem um estatuto especial, gente que se julga acima dos seus iguais.

O que nos dois últimos dias apresentei nas redes sociais (e que nunca concretizei porque nunca comuniquei aos orgãos do meu Partido a minha disponibilidade de candidatura) não foi uma brincadeira.

Foi uma chamada de atenção séria para a compreensão de que, em democracia, ninguém se pode arrogar dono das vontades alheias e que deve respeitar a vontade dos cidadãos (sejam ou não militantes do seu Partido).

Agora que já demonstrei o que queria demonstrar (que o "eles" e o "nós" não existe) e, dado que a reunião de ontem da CPN do PS indica que se vai iniciar a preparação do processo de inscrição de simpatizantes e de recolha de assinaturas para as eleições primárias, dou por finda a minha disponibilidade para concorrer.

Não por não ter todas as condições e direito para avançar, mas porque entendo que António José Seguro, que é o nosso actual candidato a PM desde que foi esmagadoramente eleito pelos militantes do PS no Congresso de há um ano, tem muito melhores condições para reunir à sua volta o conjunto de cidadãos que levarão o PS ao poder nas próximas legislativas.

A todos (e foram muitos) que se disponibilizaram para assinar a minha propositura deixo um agradecimento reconhecido.
LNT
[0.291/2014]

4 comentários:

Joaquim O. disse...

Ok, é permitido fumar nesta barbearia. Mas, atendendo à opinião do Barbeiro, de que Seguro "tem muito melhores condições para reunir à sua volta o conjunto de cidadãos que levarão o PS ao poder nas próximas legislativas", resta saber: fumar o quê :D

ignatz disse...

tamém fiquei muito mais descansado depois de ouvir o antónio josé seguro à saída de s. bento e do banco de portugal. finalmente liberto para uma oposição delicada, respeitadora e descomprometida, força seguro, o psd está contigo.

Luis Novaes Tito disse...

Joaquim O. Pode fumar o que quiser. Liberdade total. A única condição é não fazer o barbeiro aturar as ressacas daquilo que venha a fumar.

Luis Novaes Tito disse...

ignatz
Gosto de saber que o meu futuro PM se interessa pelos principais problemas do País. Pede esclarecimentos e faz saber a sua opinião. Como não anda a vender banha da cobra, ouve com atenção e concorda ou discorda (ou negoceia).
Quando ele for PM espera-se que a oposição lhe faça o mesmo, em vez de ser inconsequente e demagogo.