domingo, 23 de novembro de 2014

Direito à idoneidade

IdoneidadeJá alguém ouviu, viu, leu, algum dos muitos órgãos de comunicação social que anunciaram a detenção de Joaquim Lalanda de Castro, representante da multinacional farmacêutica Octapharma, pedir desculpas ao visado ou à sua empresa por terem divulgado, incessantemente, essa falsidade durante um dia?

Porque será que estas questões nunca são referidas nem na comunicação social, nem pelos comentadores deste pobre Portugal?

A idoneidade deixou de ser um bem absoluto?
LNT
[0.317/2014]

2 comentários:

Anónimo disse...

Pedido de desculpas, na verdade, não li, Luís, mas a revista Visão fez este desmentido:

"Ao contrário do que chegou a ser noticiado, Joaquim Lalanda de Castro, representante da multinacional farmacêutica Octapharma, não foi detido. Antes sim o motorista João Perna"

Ler mais: http://visao.sapo.pt/alem-de-socrates-foram-detidos-um-empresario-um-advogado-e-um-motorista=f802329#ixzz3JucvbflB.

Janita

PS. Peço desculpa de comentar dom a opção 'anónima' mas passa-se algo com a minha conta. Demora imenso tempo a abrir. (?)

Luis Novaes Tito disse...

Janita
Ainda muito em jeito telegráfico porque não estou em grande condição. Se a Visão fez o desmentido não se ouviu no mesmo espaço público do que a falsidade largada. Estas faltas de deontologia são inadmissíveis. Imagine o que representarão para quem é apanhado por uma coisa destas...
Os jornalistas se querem ser respeitados têm de respeitar os outros e não se atira assim um nome sem provas concretas. Não têm perdão.