quarta-feira, 18 de março de 2015

Me irrita

Subir LallIrão desculpar-me, mas ver aquele aborto gordo do FMI falar de Portugal como se fosse o dono de tudo isto, irrita-me especialmente.

Um barda-merda qualquer de quem não fixei, não sei, nem quero saber o nome, um estrangeiro representante de uma qualquer porcaria que em nome do agiotismo internacional se dá ao direito de ter voz num qualquer canal português e que fala de Portugal como se fosse um baldio sem dono e sem soberania, enoja-me, revolta-me, dá-me vontade de o defenestrar com uma bengala enfiada pelo rabo acima.

Ouvir um borra-botas, que no país dele deve ser pouco mais do que um lacaio lambe-cús (bem dito MEC por expressões tão portuguesas), falar da nossa Nação como se fosse uma cavacolândia submissa à laia de um guincho de láparo.

E o homem nem sequer se chama Ricardo.

Fónix!
LNT
[0.150/2015]

8 comentários:

Anónimo disse...

Me Irrita...Será bom português??

A mim essas coisas irritam-me!! :)

Tenha um Feliz Dia do Pai!

Janita

Luis Novaes Tito disse...

Me diga vossemecê, Janita. Se não é bom português qual terá sido a regra gramatical que foi violada?

Talvez não lhe soe musical, mas isso foi propositado (os autores fazem essas coisas de propósito para espevitarem a atenção dos leitores).

Agradecido pelos votos de bom dia do Pai.

Luis Novaes Tito disse...


(à-parte) A frase "a mim essas coisas irritam-me" é que me parece uma redundância uma vez que o "me" já indica que se refere a "mim"

:)
Lá se vai outro dentinho

Janita disse...

:-)))

Desta vez fica com os dentes todos, mas deveria ter escrito o título "Irrita-me" :)

Claro que houve redundância no que escrevi, só por isso vamos ambos conservar os dentes.

:)

Luis Novaes Tito disse...

Insisto que não vejo qual é a regra gramatical que me deveria ter feito escrever de forma diferente, mas se a Janita acha que eu deveria, é porque deve ser.

Anónimo disse...

Só agora reparei que o Luís insiste na explicação sobre o meu reparo a respeito do título do post.
Não sou licenciada em português nem em qualquer outro curso, mas...
"Me irrita" soa-me mal e parece-me ser português do Brasil.
Acho que o pronome pessoal "Me" não deve anteceder o verbo.
Soa-me melhor e foi assim que aprendi.
:)
Como o Luís já reconheceu que o fez para chamar a atenção dos leitores, se quiser podemos passar adiante...cada qual escreve como quer.Embora o Luís tenha, algures, no seu blogue, que a sua escrita não obedece ao novo A.O.

Certo ou errado? :)

Janita


Luis Novaes Tito disse...

Isto não é AO, nem português do Brasil.
É português de Portugal. Pode soar-lhe mal mas não existe qualquer regra gramatical que "pronome pessoal "Me" não deve anteceder o verbo", como diz.
Se assim fosse poderia dizer:
"O que mais irrita-me"? ou diria "o que mais me irrita"?
Podemos continuar nisto, se quiser, mas a utilização dos pronomes oblíquos átonos não tem qualquer obrigatoriedade em relação ao posicionamento antes dos verbos.

Luis Novaes Tito disse...

Note ainda que se trata de linguagem informal (já tinha feito a justificativa em comentário anterior) e que se o verbo não estiver no início da frase, nem conjugado nos tempos Futuro do Presente ou Futuro do Pretérito, é possível usar tanto a próclise como a ênclise.

Como dizia o outro, o português é uma língua muito traiçoeira.