sábado, 21 de março de 2015

O esticar da corda

CordaAinda estamos só a estender a corda que depois será devidamente esticada e provavelmente se enrolará na ponta numa laçada corrida eficaz ao estrangulamento.

Vamos assistindo a detenções preventivas e a audições parlamentares onde se persente uma matilha por detrás de cada um dos elementos dados como únicos responsáveis e aguarda-se que, a qualquer momento, esses donos de tudo - passando-lhes a vaidade de assim serem considerados e entalados por consequências que nunca pensaram vir a sofrer - abram a alma ao Mundo e apontem os cúmplices, obreiros e sabujos que os guindaram aos pedestais.

Finalmente vai ser o regabofe de confirmar que isto anda tudo ligado. Com o espernear convulsivo e o ranger de dentes assistiremos ao estrebuchar do conhecido e ao perfilar daquilo que se segue.

Entretanto vai haver muita desilusão no ar, muita gente decepcionada com os seus ídolos e muita outra a esgueirar-se para a sombra dos emergentes a ver se se safa.

Já se sente.
LNT
[0.160/2015]

3 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Gosto,
Gosto de boas metáforas
sobre cordas esticadas

(já se sente)

Anónimo disse...

lapso: "guinaram" por guindaram.

Luis Novaes Tito disse...

certo, já corrigi, obrigado.