segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Crónica da neblina

QuasimodoAqui, nas Cabanas de Tavira, no momento em que faltam sessenta e dois dias, oito horas e onze minutos para sabermos que os portugueses se libertaram dos dois primeiros elementos da Troika nacional, o nevoeiro entra com o Suão pelas areias dentro anunciando o eminente regresso de Dom Sebastião montado num cavalo marinho, escudado pelos cavaleiros da academia que encabeçam manadas de dignatários, uns reciclados e outros prontos à obediência veneranda do Regimento das Cortes.

Mau dia para quem se fez a Sul à procura de calientes banhos, bom dia para os que aqui já gozam, há tempos, o prazer dos suores e ambicionam um pouco de repousante fresco que amaine o repouso escaldante.

Perto, para as bandas da Manta Rota, já se anunciam os grunhidos da segurança que farão cordão para que Pedro, o vai-te embora que já não vais cedo, possa molhar os artelhos nas espumas suaves que banham o areal.

Deus lhe seja leve o não o faça cruzar-se com um peixe-aranha, agora que se vai alhear, por uns dias, de Paulo.
LNT
[0.247/2015]

3 comentários:

Anónimo disse...

...E que na Graça de Deus continue a andar, Senhor Barbeiro!
Ainda bem que aí chegou essa neblina que cortou um pouco a torreira do sol nessas Cabanas algarvias!!
Pessoalmente, detesto derreter-me em suores escaldantes, até se me incham os artelhos! A sério! Por acaso sei o que são artelhos- sou alentejana - senão já ficava com pena do inquilino da Manta esgrangalhada, caso fosse picado por algum peixe-aranha. Tadinho!

E o Dr. Costa? Por onde andará ele a veranear? Com o Sócrates, não é, certamente!

Continuação de boas banhocas!!

Janita

Rogerio G. V. Pereira disse...

E que tal cruzar-se com um tubarão?
Não era nada mau, pois não?

Anónimo disse...

Sabe que chego a ter medo que os pafiosos ganhem?