quarta-feira, 11 de maio de 2016

Uma outra memória

Uma outra memória
Um livro que é uma longa declaração de amor. À escrita, aos amigos, a Portugal e à língua portuguesa.
(Este livro segue a grafia anterior ao novo acordo ortográfico)
De há muitos anos para cá, deixei para comprar um livro de Manuel Alegre na segunda edição.

Ainda bem que o fiz porque este já trás na capa o selo que o refere como “Prémio Vida Literária”, uma consagração de carreira que a SPA lhe entendeu atribuir e que o Presidente da República, neste último aniversário da Liberdade de Abril, fez questão de ser portador numa sessão plena de afectos - a que assisti a convite do laureado - como hoje soi dizer-se.

Sei ser suspeito e por isso não me atreverei a uma crítica, até por insignificante, mas não quero deixar de fazer o registo da boa leitura deste alinhavo de memória e de sentimento, na língua em que aprendi a pensar anteriormente à obrigatoriedade de se cogitar sem consoantes mudas, e de vos sugerir que leiam o mais traduzido de todos os escritores portugueses vivos o que, parecendo uma contradição ao autor que mais defende a língua de Camões como o elo fundamental da nossa grandeza, o faz uma referência de Portugal no Mundo.
Creio que o primeiro médico foi um poeta. E que a primeira receita deve ter sido um poema. Os povos primitivos não sabiam interpretar os fenómenos da natureza e tinham uma concepção mágica da vida.
É lê-lo, para saber o que mais teve para nos dizer.

Sempre agradecido a Alegre por me deixar compartilhar, com ele na sua amizade, o meu Portugal desde a inspiração do Canto e as Armas.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.031/2016]

2 comentários:

C.C. disse...

Este livro está a circular? É que não o tenho!

Luis Novaes Tito disse...

Tem dois meses e é a última obra de Manuel Alegre. Está na segunda edição e pode ser comprado em qualquer livraria (comprei o meu na FNAC)