segunda-feira, 22 de maio de 2017

Colinhos


Vejarâmos as coisas como elas serem. Tu sabêras que o Esprito Santo devêra estar em terceiro parque o sagundo que é evocado na benza é o Filho. Já o primeiro, o lugar que todos quererem para ficar ao colo do Pai, é muito difícil se tu fores um clube de acandemia, parque isto não vai lá com acandémicos.

Parexemplo: Tu tens esse desejo grandíssimo de ser Tenta e sabes que se não tiveres garra para ensinar nem massa para comprar fora da acandemia ficáras de calças na mão a vêramos os penátis passarem ao deslargo.

Eu soubéra quando atravessára a 2ª circular com a tralha e a apps adebaixo do braço, no sovaco, para fazer do nosso clube um campeão que iria ser uma terefa defícil, mas prantos, tentei e quando se tentra a gente não se apoquenta.

Os nossos sócios é que estão fora da realidade.

Parexemplo: poderiam ter faturado a festa do tetra, penta ou sétima, já nem sei quantos anos seguidos no terceiro lugar, na praça do café central da Raboleira e se eu próprio e a rapaziada não iramos á varanda da Câmara de Lisboa, poderamos ter ido mostrar as medalhas de bronze na açoteia da Junta de Freguesia de Alvalade.

Já com o Parsidente da República era bom que ele não fosse também da corda. Podéra ter oferecido à gente um lanche parque pódio é pódio e nós santáramos o dito no terceiro degrau do mesmo.

Este ano vamos nova-mente fazer um Tenta, com ou sem colinho, não me chame eu pelo Santo nome que herdei dos meus priginitores e o Bruno me assegure por mais uma timporada.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.054/2017]

3 comentários:

S. Bagonha disse...

É mais ou menos isso, Sr. Barbeiro, mas eu acho que "parsidente", ou não?

S. Bagonha disse...

A pressa faz destas coisas: Faltou o "é" antes do parsidente dele.

Luis Novaes Tito disse...

é verdade. Irmos já alterálo :)