quinta-feira, 23 de junho de 2022

Rebanhos

O original deste vídeo (aqui editado por mim) foi gamado do Instagram do José Milhazes - @jose_milhazes (Milhazes José) (https://www.instagram.com/jose_milhazes/) onde informa que foi feito no Daguestão, Cáucaso do norte russo. (sem referir a autoria)

Diz ele que as: “ovelhas desfilam com a letra Z, um dos símbolos da invasão russa da Ucrânia, escrita nas costas."

E questiona: “será uma manifestação de apoio ou de protesto contra a guerra?

Cá para mim não é uma coisa nem outra, mas sim mais um bando de lobos para canhão, do cú de Judas da Rússia, a caminho do Donbass.

A estória da pele já é, há muito, referida no Novo Testamento, em Mateus 7:15-20

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.058/2022]

sábado, 18 de junho de 2022

sexta-feira, 3 de junho de 2022

The Hair Parlour (ASMR)


As coisas que se podem aprender neste estabelecimento.

Sabe o que é ASMR?

É a sigla de "Autonomous Sensory Meridian Response". Se anda distraído e não conhece pesquise no Dr. Google. Vai surpreender-se.

O vídeo reproduzido acima é um clássico. Não só de ASMR, mas também de excelente qualidade de imagem, realização e som (preferencialmente ouvir com headphones de alta qualidade). 

Já agora, uma dica:

A ASMR produz frequências cardíacas reduzidas de forma significativa que provocam relaxamento e propensão a pensamentos positivos. 

São similares às sensações provocadas por outras técnicas cientificamente comprovadas de redução de stress, como ouvir música ou até o mindfulness, estado mental de atenção plena no presente.

Divirta-se e relaxe.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.055/2022]

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Nivelar por baixo


Quando alguém com mais de 40 anos de descontos se consegue reformar com um valor "razoável" tem de esperar que o salário mínimo seja aumentado de tal forma que passe a ser igual ou superior à reforma "razoável" com que se reformou.

Até lá o elevador só tem o botão de subir para baixo até ao piso zero.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.054/2022]

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Estórias à desgarrada


Acabo de receber, infelizmente na companhia do aviso de pagamento do IMI, as “Estórias infantis para adultos” da autoria de Jorge Araujo e ilustrações de Maria Do Carmo Pais, editadas pela Espaço Ulmeiro.

O “infelizmente” do parágrafo anterior não desvaloriza nem as estórias que o biólogo, catedrático de Évora, foi publicando no Facebook em tempos de pandemia e que agora compilou no livro, nem as magníficas ilustrações de Maria Do Carmo Pais de que sou fã incondicional há uns anos.

Chegou sem dedicatória (choro) e foi lido num repente.

Infelizmente não poderei ir amanhã, às 18:00 horas, ao Palácio Baldaya que, embora seja a cinco minutos da minha casa habitual, no dia 14 estará a algumas horas, mas aconselho a todos os alfacinhas que não deixem de assistir ao lançamento, juntando ao que podem trazer do evento, o tempo de qualidade que passarão nos jardins daquele Centro Cultural.

À Carmo e António deixo agradecimentos com amizade e à Carmo e Jorge votos de grande sucesso.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.053/2022]

segunda-feira, 9 de maio de 2022

Falam, falam, falam


Parece que voltei ao primeiro dia após as últimas eleições em Portugal.

Os paineleiros que enxameiam os órgãos de comunicação social estão para a adivinhação do pensamento e actos de Putin como os produtores de sondagens estão para os resultados eleitorais.

É vê-los torcerem as ideias expressas sem terem a humildade de desmentirem os registos que produziram nas últimas semanas.

O imperialista exterminador, a quem já nem os amigos do costume ladearam, limitou-se à narrativa de mais do mesmo e, não fosse o encenado “hurra” que obteve coro das 11.000 majorettes que coreografaram passos de ganso frente à necrópole da muralha do Kremlin, a monotonia do bater dos tacões das botas só serviu para consumo, interno e externo, dos já convencidos.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.052/2022]

Teorias da conspiração


Nem todas as aves são drones.

Os pinguins são robots.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.051/2022]

domingo, 8 de maio de 2022

Negócios à parte

Muito mais interessante do que prosseguir neste concurso de “o meu embargo é melhor que o teu” seria desembargar os “ocidentais” (ou “democracias liberais” no novo léxico mediático) que andaram estes anos a vender, pela porta do cavalo, armas e componentes com fins bélicos à Federação Putina, desde que modificassem os tubos para impulsionarem a saída dos obuses e balas em sentido contrário.

Bem sei que o negócio do armamento iria sofrer um imenso revés, uma vez que perdiam um dos clientes, mas seria uma janela de oportunidade para reconverter as fábricas de armamento em indústria alimentar. 

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.050/2022]

quinta-feira, 5 de maio de 2022

Da leveza


E porque o belo é universal, a Barbearia tem a honra de reproduzir o Grand Pas de Deux (Adagio) Nutcracker de Tchaikovsky dançado pelo fantástico par Iuliia Moskalenko / Mykyta Sukhorukov da Ópera Nacional da Ucrânia.

Relaxem e emocionem-se.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.049/2022]

Diferença indiferente

É-me completamente indiferente se um dirigente associativo ucraniano resolve fazer uma declaração em Portugal. Somos um País aberto e democraticamente maduro onde qualquer pessoa se pode expressar livremente.

Já não me é completamente indiferente que a comunicação social portuguesa use essa declaração individual até à exaustão como se ela valesse alguma coisa e ainda mais não me é indiferente que a falta de preparação democrática e diplomática de quem faz esse tipo de declarações sirva para fomentar o ódio à liberdade de pensamento e expressão.

A defesa intransigente que sempre faço de quem está a ser agredido e resiste estoicamente ao agressor não tolda nem o meu pensar, nem dá o direito a quem defendo de atacar o que eu defendo.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.048/2022]

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Clarinho como água


E para os habituais detractores da verdade e para os que sempre têm um argumento capaz de denegrir quem tem a coragem de ser claro,

Guterres disse na Federação Russa o que não podia deixar de ser dito.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.047/2022]

quarta-feira, 27 de abril de 2022

Cada vida humana tem o valor da humanidade


Guterres acaba de declarar em Kiev que a sua missão de paz tem como prioridade permitir a retirada dos civis de Azovstal.

Para quem acha (e não são poucos os que por aqui leio) que esta acção do Secretário-geral da ONU é – e tem sido – uma insignificância, não entende o significado da vida.

Esperemos que Putin e Zelensky o entendam.

A ONU tem muitas valências e as militares não são certamente as mais importantes.

Perante a brutalidade e a infâmia que as forças de Putin representam, se Guterres conseguir este resultado considero já ter valido a pena tê-lo feito SG das Nações Unidas.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.046/2022]

quarta-feira, 13 de abril de 2022

Pombas armadas

E continuamos nisto.

Fala-se na guerra actual e logo aparece alguém a falar de outras guerras. Fala-se em crimes de guerra e logo aparece alguém a falar num tal Afonso que bateu na Mãe para ser Conde-rei.

Há que relativizar no anterior anormal para que o actual pareça normal.

E como se não bastasse apelidam-se de gente de paz, desenham Migs carregados de bombas com o formato de pombas com raminhos de oliveira no bico e querem fazer-nos crer que ficariam impávidos se o vizinho de cima lhes arrombasse a porta da casa, lhe ocupasse um quarto e lhe matasse os filhos, os pais e os avós.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.045/2022]

segunda-feira, 11 de abril de 2022

Leques


Depois de desertificarem a pluralidade democrática só resta aos franceses votarem no mal menor.

Para os nossos deputados fica uma lição, se a quiserem aprender. Não é boa ideia ter radicais como líderes da oposição porque, sendo a democracia um sistema onde se ganha e se perde, quando os democratas perdem os radicais podem dar cabo desse sistema.

Percebem agora porque os democratas portugueses não gostaram, por exemplo, que não tivesse sido eleito um vice-presidente da IL na Assembleia da República, principalmente numa altura em que o PSD anda aos trambolhões? 
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.044/2022]

sábado, 9 de abril de 2022

Hey Hey Rise Up


Oh, in the meadow a red viburnum has bent down low 
For some reason, our glorious Ukraine is in sorrow 
And we’ll take that red viburnum and we will raise it up

And we shall cheer for our glorious Ukraine, hey, hey 

 (Hey, hey) 

Oh, in the meadow a red viburnum has bent down low 
For some reason, our glorious Ukraine is in sorrow 
And we'll take that red viburnum and we will raise it up 

And we shall cheer for our glorious Ukraine, hey, hey 
And we shall cheer for our glorious Ukraine, hey, hey
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.043/2022]

quinta-feira, 31 de março de 2022

Lamento


Anoto que há mais deputados do PSD que não são capazes de votar na Vice-presidente indicada pelo PS do que deputados do PS capazes de votar no Vice-presidente indicado pelo PSD.

Bem sei que não sou deputado e que não me compete votar na eleição da Mesa da Assembleia da República, mas como cidadão não posso deixar de lamentar que a bancada que me representa não tenha eleito o Vice-presidente indicado pela IL.

A Assembleia da República ficou mais pobre.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.042/2022]

quarta-feira, 30 de março de 2022

Chata de galochas

A expressão “chatos de galochas” parece referir-se a alguém que é mais chato que qualquer chato normal que, como sabe quem sabe o que é um chato, é uma chatice infinita.

Julgo que a expressão está ligada às pessoas que entram pela casa dos outros calçadas de galochas e dessa forma chateiam (mais que os chatos normais) quem depois tem de limpar a água e a lama que esses chatos largam quando arrastam os pés.

Já “picareta falante” é uma expressão inventada por Vasco Pulido Valente para xingar o então PM António Guterres.

Segundo me lembro, estava ligada ao facto de Guterres ser capaz de arengar sobre tudo e mais alguma coisa, o que só parcialmente era verdade tendo em conta que ele até mandava os jornalistas fazer contas quando as casas decimais ultrapassavam o milhão.

Vem isto a propósito de um comentário que fiz nesta publicação de Maria de Fátima Filipe e de um reparo que o meu quase gémeo António Pais me fez.

A causa: - A deputada única “fala-barato” Inês Sousa Real que fala pelos cotovelos, é uma chata de galochas e uma picareta falante.

Já agora, “fala-barato” é uma expressão de quem muito fala, mas pouco do que fala interessa por ser uma fala de chavões e de "sound-bite", sendo que sound-bite é uma bip informático destinado a chamar a atenção. 

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.041/2022]

O único recado de Marcelo


O Presidente da República só teve um aviso relevante uma vez que todo o resto foi conversa em família e, como quase todas as conversas em família, limitou-se à moral e aos bons costumes.

Marcelo avisou a Nação que não perdoará a Costa um abandono do Governo antes do fim do mandato.

António Costa, à conversa em família, tudo respondeu com a amizade e o respeito que as famílias merecem. Em relação ao aviso fingiu não o ter ouvido.

Não respondeu, nem fez aparte. Passou adiante como quem passa por vinha vindimada.

Com o seu silêncio avisou Marcelo que quem vier a seguir que se governe porque ele governará enquanto tiver de governar.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.040/2022]

sábado, 26 de março de 2022

Z de zimbório e de ziper

Putin e Cirilo, após abandonarem o plano inicial imperialista de substituir o governo democrático ucraniano por um governo fantoche, tal como o existente na Bielorrússia, já anunciam voltar ao seu plano inicial.

O Czar do Império da Rússia e o Patriarca de Moscovo confrontados com a heroica resistência ucraniana liderada por Volodymyr Zelensky, o novo Simón Bolívar comunicacional do século XXI, e com o impensável sentimento de unidade patriótica ucraniana e do fortalecimento do “Ocidente” comandado pelos Estados Unidos e escudado na bandeira da NATO, dizem agora regressar aos objectivos iniciais:

1. Criar uma zona de ninguém entre a Ucrânia democrática e a ditadura russa;

2. Reduzir a área geográfica da Ucrânia redesenhando as fronteiras que separam a Europa democrática do Império Russo; e

3. Retirar à Ucrânia os acessos ao Mar de Azov para o transformar no porto terminal de escoamento do gás e petróleo russos.

O Czar Putin, batizado com o cognome de “o Carniceiro”, e Cirilo que muito gostaria de voltar a ser o Patriarca de Moscovo e de toda a “Grande, Pequena e Rússia Branca”, estarão na iminência de concentrar as suas atenções para o redesenho fronteiriço abdicando o Czar, do pleno território ucraniano e do acesso total ao Mar Negro e o Patriarca, da Pequena Rússia, para levar à mesa do armistício, após a conquista do território que marcaram, a proposta do mapa abaixo, que abarcará a central nuclear de Zaporizhzhia, garante da energia dos territórios anexados, incluindo a Crimeia.  

O Bolívar Zelensky, que afirma não negociar qualquer parcela do seu território, será confrontado, por um lado, com a devastação genocida perpetrada por Putin nos territórios ocupados e, por outro, com os aliados da União Europeia a quem a actual superfície territorial e o esforço de reconstrução assustam.

Fecha-se o zip, fecha-se o zimbório, mantém-se a face do Czar (do actual ou do próximo), alargam-se as portas do “Ocidente livre” e Odessa continuará a ser Património Cultural da Unesco.

Os refugiados regressam, a Europa respira e fica na dependência energética de outras potências, a Ibéria rasga os Pirenéus, a China mantem os mercados, a ONU continua como sempre, o Mundo volta à sua vidinha e a humanidade há-de construir o memorial que sempre constrói após os crimes que contra ela são cometidos.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.039/2022]

segunda-feira, 21 de março de 2022

E para aqueles que são muito marítimos também com os peixes do mar

Depois de ter diálogos com elefantes e momentos românticos com a passarada, Marcelo prepara-se para empossar o primeiro Governo de toupeiras mineiras da era democrática.

Vai ser o tempo da viragem em profundidade centrada na prospecção de lítio, túneis na Estrela e escavações nos Pirenéus.

Desde o tempo do outro Presidente Professor (por extenso) embebecido com o sorriso das vacas dos Açores, que as fábulas de La Fontaine não tinham tanto significado na História da nacionalidade e da bravura pacifista deste torrão de terra de gente hospitaleira, feiras de enchidos, arraiais de bagaço e um corpo de generais na reforma (superior aos soldados no efectivo) que agora comentam nos directos televisivos, via Zoom, a anexação da Crimeia sem nunca terem tido engenho para desanexar Olivença do Reino de Espanha.

Com a guerra na Europa a acabar, como se vê pelos canais de notícias que já voltaram aos assuntos do futebol, e tendo ideia que temos mais mercenários nacionais do que efectivos oficiais no teatro da guerra, vamos ser confrontados com uma Assembleia da República depois de ter adquirido o novo figurino onde a direita foi substituída pela extrema-direita e a extrema-esquerda pela esquerda central.

Aguarda-se, com expectativa, um discurso presidencial clarificador, após a troca de impressões com as abstencionistas girafas moçambicanas, que fará do sermão de Santo António aos Peixes uma metáfora irrelevante.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.038/2022]

sábado, 12 de março de 2022

Cercos


Nas televisões “noticiosas” – principalmente nestas – os viciados das ficções CSI descobriram os tablets tácteis gigantes onde se extasiam com a possibilidade de fazer risquinhos com os dedos e terem um menu que lhes permite colocar bonequinhos com capacetes onde brincam às guerras e às táticas aprendidas nos manuais do 007 e do Rambo.

Falam, em pleno século XXI, no cerco à fortaleza como aprenderam na escola quando estudaram (?) o cerco a Alusbuna e continuam com a noção de que, entre os enviados de Putin, haverá um Martim Moniz que lhes possibilite uma narrativa lendária.

Insistem nestes grafismos sem se aperceberem que se, em Kyiv, o KGB Putin ainda não foi o habitual Bulldozer é porque esta capital tem para ele um significado especial e está a tentar tudo para a conquistar sem ter de a arrasar.

O cerco de Kyiv será feito com cortes de abastecimento, água, energia e bloqueio das comunicações, inviabilizando todos os acessos aéreos e terrestres que sejam vias de abastecimento de bens, electricidade, armamento e munições.

A invasão de uma fortaleza destas é impossível caso não se use a tática de Bulldozer.

Cada janela será uma guarita e, não querendo acabar com todas elas, só resta conseguir a rendição dos valorosos resistentes pela fome, pela sede, pelo frio, pela intervenção de forças rápidas e dirigidas e, se necessário, pelo veneno em que o actual Kremlin é especialista.

O alarve Putin quer Kyiv para voltar a ter Kiev, senão já a tinha bombardeado.

Deixem-se de risquinhos e joguinhos e esforcem-se para entender os sinais que dão as pistas para entender o que vai na cabeça do estupor que se julga ungido como Czar para ser um novo Ivã.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.037/2022]

Falta-lhes o cheiro do cabedal

É aflitivo ver e ouvir tantos comentadores "académicos" que nunca vestiram uma botas cardadas, nem fazem a mínima ideia de como se destrava uma arma, pronunciarem-se sobre a estratégia das tropas de Putin.

Falam como se estivessem a jogar numa play station, esquecem-se que o terreno nunca é plano e, principalmente, esquecem-se que as botas da tropa fazem bolhas nos pés.

Para eles não há dor. É tudo digital.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.036/2022]

sexta-feira, 11 de março de 2022

Qu´ils mangent de la brioche

Bem tento, mas não consigo escrever o que me vai na alma.

Introspectivo, amargurado, mal-informado e na tentativa de sanidade ao confrontar a alma com a prepotência dos tarados que se sentam nas cabeceiras opostas de uma mesa de trinta metros e os impreparados da diplomacia que não conseguiram prever o martírio quando sonharam erguer uma escultura heroica no rossio da sua cidade capital.

Enquanto isto, o choro de uns não abafa os brindes de cristal à paz, saúde e prosperidade realizados nos doirados de la chambre de l'autre-chienne nas negociatas do nuclear francófono, do crude persa ou Maduro e das tubagens nos Pirenéus.

A realpolitik e a desumanidade fazem caminho, descaminhando, prendendo-nos na insónia para evitar pesadelos. 

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.035/2022]

sábado, 5 de março de 2022

Zebras

Sempre que quiser passar de um lado da rua para o outro deve procurar uma zebra. 

É mais seguro, é legítimo, é legal, é previdencial e passar de um para o outro lado é um direito que não lhe pode ser recusado. 

Sempre que usar uma zebra para passar de um lado para o outro nunca deixe de olhar para a direita e para a esquerda, principalmente se levar uma criança pela mão. 

A criança está ao seu cuidado e compete-lhe cuidar dela.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.034/2022]

quinta-feira, 3 de março de 2022

Caluda

Neste meu blog não há “mas”, mas por isso mesmo exijo que não me inviabilizem o acesso à informação e à propaganda dos dois lados beligerantes.

Repito, aqui não há “mas”, mas não me infantilizem. 

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.033/2022]

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Fotogramas


Se soubessem o que me irrita olhar para os nossos ecrãs dos canais de notícias a tentar perceber o que se está a passar e ver os quadrinhos com fotogramas em “loop” e numa cadência de segundos que fazem crer, por serem viciosos, que o disparo de um míssil são dezenas de disparos de mísseis, ao mesmo tempo que são passados rodapés com “break news” que nada têm a ver com as imagens velhas de dois ou três dias estampadas nos ditos quadradinhos.

Enquanto isto, o pivot entretém-se a cortar com “fait divers” o raciocínio dos convidados que leva a estúdio, truncando tudo em vez de rodar o carreto, atalhando os desvios e mantendo o fio esticado até conseguir sacar para bordo o peixe que vem no anzol.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.032/2022]

sábado, 26 de fevereiro de 2022

Não gosto de agressores nem de ditadores


Em plena guerra de desinformação não me atrevo a qualquer comentário, até porque de analistas já todos estamos pelos cabelos.

Há três únicas coisas que não quero deixar de dizer, pelo menos para já:

Sei o que é um agressor, sei reconhecê-lo e sei que não gosto de agressores.

Sei o que é um agredido, sei reconhecê-lo e sei que gosto de me solidarizar com os agredidos.

Para além disso, sei reconhecer um ditador, não gosto de ditadores e lamento os povos por eles subjugados.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.031/2022]

terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

Missing Men


António Fernando Gomes de Almeida, o Pendura Pacaça ou Toni, juntou-se hoje aos nossos camaradas do Curso de Pilotos Milicianos da Força Aérea Portuguesa P1/74 que voam mais alto e dos céus guardam os que ainda por cá estão.

À Margarida, sua mulher, e aos filhos João e Marta deixo, com profunda tristeza, um grande abraço sentido pela perda.

Para todos os meus camaradas Penduras fica a amizade solidária neste momento forte em que mais um de nós deixa vazia a asa da formação que voamos há 48 anos.

Fica em paz, meu caro Toni.

Informações: 
5ª Feira - 16:30 h Velório na Igreja dos Navegantes no Parque das Nações em Lisboa 
6ª Feira - 15:00 h Missa de Corpo Presente seguida de cremação no Cemitério dos Olivais. 

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.030/2022]

sábado, 19 de fevereiro de 2022

Fact checking “Pimenta na língua”


Na comunicação social e redes sociais faz-se constar que o nosso Supremo Comentador da Nação, alegou a urgente necessidade de ter um OE aprovado para decidir a dissolução da Assembleia da República, o que agora, altura em que se prevê termos duodécimos em mais de meio ano, deita por terra a razão aduzida.

O barbeiro foi “checar” e o que encontrou no site da Presidência foi o Supremo Comentador – na pele de Presidente da República – ter fundamentado para a dissolução:

“… A rejeição deixou sozinho a votar o Orçamento o partido do Governo.

A rejeição dividiu, por completo, a base de apoio do Governo, mantida desde 2015.

A rejeição ocorreu logo na primeira votação – não esperou pelo debate e discussão na especialidade e, menos ainda, pela avaliação da votação final global.

Não foi uma rejeição pontual, de circunstância, por desencontros menores, foi de fundo, de substância, por divergências maiores. Em áreas sociais relevantes, no Orçamento ou para além dele, como a segurança social ou a legislação do trabalho.

Divergências tão maiores que se tornaram inultrapassáveis e que pesaram mais do que o percurso feito em conjunto até aqui e, sobretudo, pesaram mais do que a especial importância do momento vivido, à saída da pandemia e da crise económica e social e do que o Orçamento a votar nesse momento.

Nada de menos compreensível, penso eu, para o cidadão comum, que desejava que o Orçamento passasse, que esperava mesmo que passasse, que entendia que já bastava uma crise na saúde, mais outra na economia, mais outra na sociedade. E que por isso, dispensava – estou certo – ainda mais uma crise política a somar a todas elas…

Como diria aquele programazito que a SIC apresenta de vez em quando nos seus Jornais da Noite sem alguma vez ter explicado quais os critérios de selecção dos factos “checados”:

Pimenta na língua.

O PR dissolveu a AR, não pela urgência de ter um OE aprovado, mas sim devido às divergências existentes entre o Partido do Governo e todos os outros, o que exigia um esclarecimento popular.

Não têm nada que agradecer. Basta serem sérios.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.029/2022]

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

A culpa do canalizador

Se os Senhores Deputados, em vez de andarem a fazer politiquice, a engendrar tramóias para provocar quedas de Governos e a fazer Comissões Parlamentares para elaborarem sobre o sexo das larvas quando se encontram nos casulos de seda pura, fizessem aquilo para que são eleitos e pagos evitavam os arranjinhos à margem da Lei, ainda por cima cogitados em acordos de cavalheiros e cavalheiras que não o são, e não provocavam que a vontade expressa dos eleitores se transformasse em lixo.

As Leis eleitorais estão sinalizadas, há muito, como uma mistela explosiva que resulta da incompetência com que foram redigidas e do habitual desleixo provocado por não haver na Assembleia da República quem consiga adaptar metodologias ancestrais à realidade tecnológica desenvolvida nos últimos trinta anos.

Ficaram todos mal nesta foto de descredibilização e desrespeito da nossa democracia e dos cidadãos, desde os primeiros responsáveis – os Deputados –, aos serviços estatais e tutelas ministeriais – Comissão Nacional de Eleições e MAI -, aos que furaram a Lei - Partidos políticos – (que já a tinham furado anteriormente para evitarem situações como a que estamos a viver agora) e até ao incontido supremo comentador da Nação – o Presidente da República – que, por ter feito afirmações que não lhe competiam, acabou por ser desautorizado pelo Tribunal Constitucional.  

Quanto ao Partido que agora rasga as vestes fugindo às responsabilidades que teve em tudo isto e que não hesitou em remeter as culpas para os “canalizadores de serviço” – Os Presidentes das Mesas Eleitorais – a quem agora quer assacar o dolo de toda esta trapalhada, era bem melhor que tratasse de substituir rapidamente o morto-vivo feito virgem que o lidera e acabar com a aparição pública dum zombie inimputável.

Toda esta salganhada resulta, para além da descredibilização do processo eleitoral democrático, em encargos imensos para os contribuintes e para os cofres do Estado e em atrasos irremediáveis na restauração do regular funcionamento das Instituições.

LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.028/2022]

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Ao estalo

O que seria sensacional era que o monsieur Emmanuel Jean-Michel Frédéric Macron e o herr Olaf Scholz convidassem o mистеp Влади́мир Влади́мирович Пу́тин, o mister Joseph Robinette Biden Jr. e o 先生 习近平 para um duelo de estaladas nos jardins du Château de Versailles.

O senhor professor Marcelo Nuno Duarte Rebelo de Sousa poderia servir de juiz, mal tivesse tempo para não proferir declarações sobre qualquer assunto.

O Mundo agradeceria, mesmo que o desemprego nas fábricas de armamento pudesse atingir níveis catastróficos.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.027/2022]

sábado, 12 de fevereiro de 2022

O pânico, o medo


Desde as eleições que a comunicação social descobriu que estamos em seca.

Foi de um momento para o outro.

No dia 30 ninguém tinha ainda dado por isso, no dia 31 ficámos nesta seca miserável que enche todos os chouriços dos noticiários.

Um pouco como o "mete medo" do puto que ia matar, com canivetes, uma multidão de colegas e professores e se preparava para criar uma explosão com latas de gás de isqueiro.

Pânico, s'íl vous plait, que as "não notícias" são importantes para manter o pessoal com medinho e respeitinho e fazer saber que o FBI, a Dark Web da Deep Web , o Darth Vader, o Mafarrico e até mesmo o anjo malvado Satanás, andem por aí.

Desenvolvendo mais um pouco a segunda parte do Post:

A primeira regra da segurança é não falar dela (pelo menos referindo casos específicos). A primeira regra de não atemorizar é não divulgar o que não aconteceu. A primeira regra de evitar é não explicar, muito bem explicadinho, como se comete um crime.

Mas é preciso vender papel, é preciso dizer bem das polícias, é necessário criar o pânico, é necessário agitar.

O caso do jovem alucinado que enche as primeiras páginas é uma "não notícia".

O miúdo foi apanhado antes de cometer a "chacina" por isso nada aconteceu e, nada tendo acontecido, devia ter ficado no segredo da judiciária para evitar criar pânico e andar a ensinar outros desiquilibrados (jovens, ou não) dos modos e formas de ganhar notoriedade através da selvageria.

Temos isto, e o isto que temos é lamentável.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.026/2022]

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2022

Pode ser proibido, mas pode não ser e, se não for, não é proibido


Fazer legislação onde fica registado que algo é proibido excepto no que a legislação específica  
 diga que não o é só serve para aumentar os imbróglios da vida corrente.

A guerra dos votos por via postal é exemplo disso e a anulação de tantos milhares de votos é um desrespeito que o Estado de Direito faz ao Direito (e dever) de votar.

Tudo isto resulta do tal:

 “2 - É igualmente interdita a reprodução do cartão de cidadão em fotocópia ou qualquer outro meio sem consentimento do titular, salvo nos casos expressamente previstos na lei ou mediante decisão de autoridade judiciária.

e do

 “6 - O envelope de cor verde, devidamente fechado, é introduzido no envelope branco, juntamente com uma fotocópia do cartão de cidadão ou do bilhete de identidade, que o eleitor remete, igualmente fechado, antes do dia da eleição.

Como diria o nosso Presidente na altura em que era comentador da Dona Judite:

Bóm, pode ser proibido, mas pode não ser e, se não for, não é proibido” 

LNT

#BarbeariaSrLuis
[0.025/2022]

Cyber ignorância e pele de galinha


Passados os tempos dos “
especialistas” em medicina, vacinação, secas, ambiente, etc. eis-nos chegados aos especializados em informática e cyber segurança onde os achismos e a ignorância há muito se diferenciam do silêncio consciente de quem trabalha ou trabalhou nestas áreas.

Nada de novo. Ainda sou do tempo em que, quem tirava um curso de Word ou Excel, ou ainda anteriormente de Wordperfect ou de Lotus, já dizia ter tirado um curso de informática e se sentia um informático quando, afinal, não passava de um utilizador. Mais tarde passaram a incluir essas valências nos seus currículos embora com o fantástico acrescento “na óptica do utilizador”.

O que é verdade é que esses curiosos fizeram escola e que, para além de continuarem confundidos com os termos “utilizadores” (mesmo os bons utilizadores) e “informáticos”, foram absorvidos pelo mercado de trabalho onde instalaram em empresas igualmente ignorantes, sistemas até resilientes e dotados de backup, mas incapazes de segurança.

Adiante, porque hão-de aprender de outra maneira que a par da resiliência é imprescindível a segurança e que mesmo a boa segurança está muito para cá de ser inviolável.

Ver na televisão, misturados com quem sabe, alguns desses curiosos a debitar sobre casos concretos (que eles desconhecem por inteiro e nem sequer conseguem ter consciência do que está em causa) é confrangedor e até provoca pele de galinha. 
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.024/2022]