quarta-feira, 9 de março de 2011

Cinco contra um

Miguel Telles da GamaO Presidente dos dois milhões e tal de portugueses toma hoje posse do cargo de supremo magistrado da nação. Com o seu conhecido lema do "Presidente dos cinco contra um", conforme fez questão de afirmar na noite eleitoral ao proferir o azedo discurso de vitória, podia hoje evitar os gastos que vai fazer na pompa e circunstância paga com o dinheiro emprestado pelos "mercados" e rapado do sustento de todos, incluindo o dos portugueses que ele insultou e ameaçou.

Cinco contra um, pensamento solitário insatisfatório mas aliviante, um programa completo para o seu mandato como reformado.

Cavaco volta hoje, quarta-feira de cinzas, a nascer. Fraco, mas confirmando que para se ser honesto e ficar livre da acusação do pecado é preciso fazê-lo duas vezes.

Todos nós, incluindo os que o elegeram por omissão, temos o que merecemos.
LNT
[0.082/2011]

11 comentários:

ariel disse...

Excelente!

Ponto de Vista disse...

Não me considero responsável pela reeleição de Sua Excelência; não votei no cidadão Aníbal, mas sim noutro candidato.

fatbot disse...

... " temos o que merecemos " ... neste e em todos os campos ... Cada um tem aquilo que merece! Um abraço e um até sempre

mdsol disse...

Que nerbos, Sr. Luís da Barbearia, que nerbos.

Anónimo disse...

A dor de cotovelo é lixada não é? Pois ele foi mal educado, se calhar até foi, mas quanto a gastar dinheiro do erário público em jantaradas de tomada de posse, penso que já houve outros PR's que gastaram uma grana de respeito em tal evento. E quanto a educação a atitude do Sr PM, foi um espectáculo!!!! Ou será porque a tal dor ofusca a visão de algumas pessoas e vêm tudo de forma "alegre"??????
Boa noite

C.C. disse...

Felizmente que não faço parte dos dois milhões, nem do e tal.....mas que
o texto está bom, ninguém duvida.
E a bicharada também...

George Sand disse...

E uma vez que saíu do "estágio" do primeiro mandato, promete então ser interventivo. Isto do primeiro mandato parece que é uma espécie de "aquecimento" para o jogo.

joshua disse...

Sinto exactamente o mesmo que tu só que em relação a Sócrates. Ele há coisas!...

Abraço!

menvp disse...

A PROPÓSITO DA MANIFESTAÇÃO DE AMANHÃ:

Não é só pagar as dívidas que os governos fazem/deixam...
A «democracia directa» não é solução... mas votar não é passar um 'cheque em branco'!!!!!!
Quem paga - vulgo CONTRIBUINTE - deve possuir o Direito à Transparência e o Direito ao Veto das despesas não consideradas prioritárias...

PELO DIREITO AO VETO DE QUEM PAGA (vulgo contribuinte) blog: Fim da Cidadania Infantil.

Luis Novaes Tito disse...

A questão, Joshua, é que o Primeiro-Ministro é sempre de facção. Não é eleito directamente e não obriga a maioria absoluta. Aqui reside a ideia de que o PR deverá ser "de todos os portugueses" coisa que nunca se poderá dizer de um PM.

Ponto de Vista disse...

E porque não pensar em tornar obrigatório o voto? Talvez se conseguisse evitar a vergonha de termos um presidente com uma percentagem de votos favoráveis, em relação ao número dos eleitores, tão baixa (inferior a 25%, se não me engano).
Muito gostaria de ler opiniões.