segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Entretanto no reino

Legião portuguesaEnquanto Dom Aníbal anda a banhos no refúgio da corte dos utentes e beneficiários do BPN, o fidalgo Dom Pedro sacode as areias que trouxe nas virilhas das praias da Manta Rota, o cavaleiro Paulo continua tão desaparecido como Sebastião de Al Quasr al-kibr e o espectro burguês de Miguel escorrega viscosamente por entre as muitas equivalências que o transformaram condestável do reino, o conselheiro ruivo da corte balofa faz-se ouvir como existente e com pose de senhor dos senhores, mesmo sem ter mandato régio que lhe obrigue reconhecimento pela plebe.

Os escrivães do reino não param de sacudir a pele celta do coiso para ver se com ela escondem e fazem esquecer o coiro de outros e os julgamentos que os serviços estrangeirados andam a esmiuçar na fazenda nacional.

Entretanto o reino sucumbe perante tão malfazejas gentes e os excretores expelem, em falas de gaguejos, os excrementos que pensam.

São o cão, senhores!

São mafarricos em forma de gente (desta vez sem farda negra), uns mais lentos na palavra e no pensamento do que outros, mas todos igualmente esfaimados e sedentos.
LNT
[0.391/2012]

1 comentário:

Rogério Pereira disse...

Se necessário for
O povão
(Ainda) vota no cão