quarta-feira, 9 de setembro de 2015

E assim foi

Portas CatarinaO coisinho veio ao cabo debater com a senhora que aparece nos cartazes à frente da Mariana e levou uma tosa que nem santo Inácio de Loyola era capaz de imaginar em la Storta.

Não que a licenciatura em línguas e literaturas modernas a fizesse ter especial favor, mas a prática de palco e a consequente expressão dramática foram fatais ao circense que, habituado ao ilusionismo, viu cair no cenário a máscara da tragédia.

Não lhe valeram os sofrimentos dramatizados, nem o musical patriotismo de um qualquer Oliveira da Figueira que consegue vender aos nómadas a areia que os seus camelos pisam.

Bastou-lhe o dizer firme de que há que reestruturar aquilo que não se pode pagar sem reestruturação para que se percebesse que, de Loyola, o homem aprendeu pouco.

Nem uma visita a Jerusalém, nem tão pouco ao Muro das Lamentações.

Nem bom, nem mau.

Foi só aquilo, entre dois iguais que disputam o último lugar e o lugar algum. Confirma-se que os termos exterminam-se.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.257/2015]

3 comentários:

Augusto disse...

Os dois são candidatos a deputados, tal como são Costa, Passos, Jeronimo e muitos outros , 230 exactamente.Nestas eleições NENHUM político é candidato a mais nada.

Anónimo disse...

O ar comprometido de Portas (consciência pesada) e o ar calmamente feliz de Catarina num palco com meia casa.
Essa de "os Gregos..." foi e será cada vez mais muito infeliz.

Luis Novaes Tito disse...

Se as eleições fossem só para escolher os deputados escusavam de ter feito o debate de ontem uma vez que os contendores já estão ambos eleitos, à partida, para a próxima legislatura.