sábado, 16 de setembro de 2017

Ide gamar


Um lisboeta contrata uma empresa para lhe fornecer um serviço e quando olha em detalhe para a factura percebe que mais de 50% do valor que tem a pagar não é do serviço que contratou mas sim de taxas camarárias, algumas das quais arrecadadas em duplicação.

Falo da factura da EPAL que funciona como disfarce da voracidade municipal no arrecadar de receitas duplicando o valor da notificação emitida pela Câmara Municipal de Lisboa para a Taxa de Saneamento (o que já é uma alarvidade sobre a alarvidade do IMI) e que com estas parcelas, escandalosamente diluídas na água dos alfacinhas, tributa o mesmo saneamento uma segunda vez.

Como é possível que a conta do fornecimento do serviço apresente o valor da água de 23,49 Euros e a soma das taxas municipais e IVA (e um “serviço” que não se sabe o que é) sobre esse consumo seja de 32,03 Euros?

Entretanto candidatam-se uma dúzia de maduros à Presidência da Câmara e nos debates públicos travados entre eles para conseguirem os votos que precisam para alcançar os seus objectivos nunca constam os assuntos respeitantes ao desvalijo com que sujeitam aqueles a quem pedem o voto.

Distraem-nos com boquinhas de casos e casas das suas vidinhas e invejas enquanto as suas mãos não saem dos bolsos dos lisboetas.

Ide gamar para a estrada!
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.063/2017]

2 comentários:

opjj disse...

Fique feliz porque há ladrões bem piores do que Lisboa. Em 3m3 de água a câmara de VRSAntónio cobra mais 7,44€.
Costa antes de sair da CMLisboa aumentou a fatura em 47,8% e ninguém abriu a boca.
Com o PS o povo é sereno.

Luis Novaes Tito disse...

Falo de Lisboa porque é O local onde vivo e onde votarei.