sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Minas e armadilhas

EstetoscópioDiria que o maior inimigo do estado social é o estado deplorável do egoísmo a que chegámos e a falta de sentido de Estado revelada pelas gentes que o deveriam defender.

Essas gentes são os nossos políticos, a classe empresarial subsídio-dependente, as clientelas que se apresentam sem cor para melhor se encaixarem em qualquer uma que lhes mantenha o privilégio e os falsos desfavorecidos alapados à economia paralela e sentados à mesa do orçamento para o qual não contribuem.

O estado social deixou-se minar pelos anti-sociais, gentes que viram forma de ganhar a vida à sua sombra e outras gentes que o parasitaram até à exaustão.

O falso remédio é acabar com ele. O estado social não pode ser objecto de eutanásia, nem do prolongamento da vida vegetal.

Para bem de todos, da nossa dignidade, dos nossos princípios humanistas, da nossa qualidade e da nossa segurança há que descobrir a cura que o recupere e o mantenha saudável.
LNT
[0.041/2012]

2 comentários:

(c) P.A.S. Pedro Almeida Sande disse...

Subscrevo!

Helena disse...

Nem mais.
O estado social é uma grande ideia, que está a ser destruída pelo egoísmo, o oportunismo e a preguiça.

Como lutar contra isso é que é outra questão.