quinta-feira, 10 de março de 2016

Dos aplausos e ausências

Shame on YouVai para aí um burburinho dos diabos sobre as palmas que se batem, ou não, no hemiciclo e sobre a deselegância da recusa de comparência de um chefe de governo exilado a um almoço de Estado.

Sobre a primeira coisa deixo para depois, arrumando já o segundo acontecimento com uma evidência: Um exilado é um exilado e um exilado que se preze não pode, sob qualquer pretexto, arregaçar as mangas, pôr o babete ao pescoço e partilhar de um repasto pago pelo pote, agora que já lá não tem as manápulas.

Passo então às palmas. Julgava que a forma de protesto parlamentar mais grave era a ausência da sessão e que a segunda mais grave seria a pateada. Mas uma vez mais eu, que por vezes me engano e que por outras tantas não tenho razão, vim a descobrir que aquilo que entorna o caldo do rebanho é um Deputado, ou uma ou mais bancadas partidárias, absterem-se de aplaudir ou de se levantar no final de uma alocução. O BE, o PCP e o PEV deveriam ter vergonha, até porque o discurso foi inclusivo e, numa altura em que se critica o PSD por ser alheio à discussão do Orçamento de Estado, deveriam ter ovacionado sem reservas as palavras de Torga.

É uma vergonha este atentado às boas-maneiras perpetrado pela engrenagem que dá suporte à Geringonça. Como diria qualquer inglês do seriado Yes Minister: - Shame on you!

E por hoje, dia em que o circo ainda anda na rua e se respira de alívio por se terem finalmente arejado as bafientas salas do Palácio de Dom Manuel de Portugal, é tudo.

Agradecido, voltem sempre.
LNT
#BarbeariaSrLuis
[0.016/2016]

1 comentário:

Hélio Coelho Matias disse...

Os atentos e os desatentos, apercebem-se das coisas, embora não se manifestem da mesma maneira, mas ambos conhecem o que se passa ao seu redor!
Bafientos, talvez seja um epíteto que melhor se coaduna com a atitude de cada um face ao momento.
Pessoalmente carimbo como FALTA DE EDUCAÇÃO ou FALTA DE TOMATES (para pura e simplesmente não estar presente)!
Educação, é hoje um valor quase inexistente, e o modo de exibir uma postura ideológica é pura e simplesmente não praticar aquela!
A falta dos ditos, colocava-os numa posição desconfortável...nem lá foram (diríamos hoje)!
Assim, estiveram mas não fizeram parte da "carneirada", esquecendo-se que TODOS nós fazemos parte dum rebanho.
Tinham 3 opções: levantavam-se...ficavam sentados mas batiam palmas ou...não compareciam!
Como eu certamente outros...decidi desde então...mudar de rebanho!