quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Da série, já vos tinha avisado


Praia

Mais tarde, ou mais cedo, e espera-se que o mais cedo não seja tarde demais, hão-de descobrir que, para ganhar, é melhor congregar do que dividir mesmo que isso acarrete sobrepor o interesse colectivo aos interesses pessoais ou de grupo.

Tudo agora seria mais coerente e convincente se tivéssemos uma campanha com Costa como candidato natural à Presidência da República e Seguro a pedir uma maioria absoluta no Parlamento.

Nas praias, onde se lagarta docemente, todos se alheiam das promessas eleitorais, estejam elas “plafonadas” ou não e, os que não podem ou não querem ir à praia, retirando os poucos que ainda se interessam por estas informações, já há muito decidiram votar nuns ou noutros ou optaram pela abstenção.

Estando o mais cedo agendado para Outubro e o mais tarde para Janeiro do ano que vem, espero que, em qualquer dos casos, não se possa vir a dizer que já tinham sido avisados.

Entretanto, duas informações: A água do mar algarvio continua tépida e, nos areais fortemente concorridos (cada vez é mais difícil conseguir um lugar para estender a toalha), a política deu lugar à indiferença.
LNT
[0.248/2015]
Enviar um comentário