terça-feira, 27 de setembro de 2011

Uma questão de higiene

Afiar NavalhaResolvidos todos os problemas relacionados com a barragem feita pelo Google e posteriormente pelo FaceBook, este vosso estabelecimento volta com o serviço do costume, agora ainda mais salubre depois da higioterapia a que foi obrigado pelos Senhores do Mundo.

As colaboradoras fizeram os testes, as tesouras e navalhas foram sujeitas a um banho analéptico, as fardamentas fizeram a saponária em lixívia e acabou-se com a promiscuidade que consistia em saber quantos andavam a servir-se dos nossos esmerados serviços em simultâneo. (dizem que aquilo era quase um bacanal)

Resta seguir em frente.

Voltamos às massagens e cafonés que tanto estimulam a nossa selecta clientela.

Nota: Estas coisas têm sempre a vantagem de demonstrar aos mais incautos anónimos que o anonimato não existe nos Sistemas Computacionais (nem nas telecomunicações). Tudo o que aqui se faz deixa rasto e quem domina o saber de pisteiro sabe tudo.
LNT
[0.400/2011]

3 comentários:

C.C. disse...

A assistente à entrada, ainda ficou provocadoramente a atirar o fumo para cima dos clientes! Eu, que não fumo, qualquer dia fico indignada...

Luis Novaes Tito disse...

Pois é, CC,
Mas provocações é coisa que aqui nunca deixará de haver :)

C.C. disse...

e é por isso que sou cliente:)
Agradeço a simpática e generosa disponibilidade em partilhar com a clientela a forma de matar o bicho.Não fui afectada; mas não vá o diabo tecê-las...guardei.