sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Podia Portugal sobreviver sem esta gente?

Miguel Telles da GamaPoder, podia, mas não era a mesma coisa.

Os especuladores deixavam de ter área de acção. Os corruptos e os corruptores deixavam de ser notícia de primeira página. Os frigoríficos enchiam-se de calorias para nosso mal. As pessoas não tinham bombos onde desancar.

O João Gonçalves e outros não tinham matéria para dizer tanto mal e o bruxo Medina Carreira tinha de andar mais 20 anos a dizer aquilo que não fez quando foi Ministro das Finanças.

Podia efectivamente sobreviver mas, sem a gatunagem, a ladroagem, a roubalheira, o tremendismo, o facciosismo, o bota-abaixismo e o chico-espertismo, não só não era a mesma coisa, como lhe faltava a coisa com que nos coisam o juízo todos os dias.
LNT
[0.380/2010]

9 comentários:

Kruzes Kanhoto disse...

Não podia. Até porque deixava de haver portugueses...

Anónimo disse...

Tem toda a razão,meu caro Barbeiro... Bem que merecíamos que não nos perturbassem tanto. Bastaria que não nos ocultassem os problemas.
Note-se quão curta é a memória do pessoal. A questão que pôs em relação ao bruxo pode pôr-se em relação a muitas outras pessoas que lá estiveram - algumas ainda lá estão...
Aqui vai um abraço e que a mão lhe não doa.

Ponto de Vista disse...

Já não era sem tempo.
Não se percebe muito bem porque demorou tanto a chegar a um acordo.

maloud disse...

E sem fotografias de telemóvel?

Anónimo disse...

Pois agora tambem temos um tal de
Cantigas Esteves, para compor o ramalhete....bela merda de gente esta.
Já não bastava o Sr Sousa Tavares,os "quadrados do circo",e demais quejandos só faltava o Cantigas "o educadinho"...dass
L.R.

Núncio disse...

A alfinetada em Medina Carreira é duplamente injusta.
Em primeiro lugar, ser ministro em 1975, saídos de um modelo político e económico totalmente diferente, não tem comparação possível com o ser ministro em 2005. E, além do mais, estamos a falar de 30 (!) anos. Só o factor tempo torna tudo incomparável.
Em segundo lugar, Medina Carreira, pela sua colocação histórica e ideológica, revela com as suas intervenções, uma coragem que, hoje, poucos militantes ou adeptos socialistas assumem: é a de, para bem do partido a que pertencem e do amor a Portugal que deverão ter, correr com quem está a destruir a matriz desse partido e a causar danos profundos ao nosso país.

maloud disse...

O Medina Carreira ainda é socialista?!

Daniel Santos disse...

e sem essa gente toda deixariamos de ser Portugal.

Jah Tah A Akbar disse...

termendismo, deve ter a ver com o termidor

o tremendismo também não sei

e sem essa gente toda para quem trabalhavam os restantes 5 milhões?

o facciosismo,não sofro que não tenho facções preferidas

o bota-abaixismo por vezes chama-se realismo

assim como somos os melhores se chama estupidez
eu cá de certezinha não sou...

melhor...estúpido sou de certeza



e o chico-espertismo,como o seu?

não só não era a mesma coisa

como até era capaz de haver um outro caçador simão e outro pedaço de pau
a concorrer às eleições