terça-feira, 6 de setembro de 2011

O colossal desvio [ II ]

Direcção BoliqueimeNão sou daqueles que passam a vida a exigir que todos os eleitos cumpram as suas promessas eleitorais. Só o faço em relação àqueles que escolhi, caso falhem nos seus compromissos.
Quanto aos outros, quem os elegeu que exija.

Por isso mesmo, bem pouco me importa se Cavaco, Coelho, Portas, Louçã ou Jerónimo satisfazem as suas promessas sendo que de Louçã e de Jerónimo nada espero por saber que o seu compromisso é com a exclusão das soluções.

Considero que o mais colossal desvio que já aconteceu no Portugal democrático, por duas vezes, foi o caminho das pedras em que se desbaratou o apoio com que a Comunidade Europeia nos quis elevar ao seu nível e o de agora em que se pretende o regresso ao tempo feudal com os colectores de impostos a encherem os alforges das bestas com a dízima popular.

Sei ainda ser cedo, mas é desde já urgente começar a preparar a saída deste desvio que, por ser colossal, vai obrigar a um esforço redobrado no sentido de se retomar a qualidade da cidadania e a felicidade dos portugueses.
LNT
[0.352/2011]

4 comentários:

folha seca disse...

Caro Luís
Sou dos que pensa que para além das direcções partidárias e dos respectivos líderes, há o conjunto de militantes mais ou menos activos e aquilo que creio ser o seu maior capital político, os eleitores.
Sou também dos que pensa que a solução para o nosso País passa pelo conjunto das esquerdas, de uma das formas possíveis. Ouvi a intervenção (via tv) de Jerónimo de Sousa no último Domingo. Cometeu um erro, meter no mesmo saco o PS com a direita é um argumento que atira para fora qualquer hipótese de a curto prazo haver entendimentos que tão necessários vão ser. Sob pena de este País ficar em cacos.
No fundo os Partidos têm a sua história e os seus princípios. Os Líderes passam (deixando naturalmente marcas, boas e más) mas os Partidos ficam. (falo de Partidos e não de grupelhos ocasionais)
Desculpe a extensão
Abraço

contradicoes disse...

Colossal desvio em matéria de competência governativa. Isso sim o resto é folclore.

Luis Novaes Tito disse...

Verdade, Rodrigo.
Os Partidos é que são a essência da democracia. As suas lideranças, sempre transitórias, deixam marcas mas não os podem moldar para além dos Princípios que os regem.
Quanto ao Jerónimo, pouco mais há a dizer. O PCP sempre preferiu a direita ao PS. Dá-lhes mais jeito para a contestação social.
E o povo é que paga...

Luis Novaes Tito disse...

Raúl,
o desvio começou com a saída da via rápida para o atalho de Boliqueime. Aliás, só por saloice Boliqueime é um desvio da Via do Infante, porque pouco mais é do que uma terreola algarvia.