terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Desobediência civil

Coelho Portas Carnaval Torres 2012Presumo que, o que resulta de um povo ser governado por gente que não o conhece, está hoje bem patente em Lisboa.

Presumo, porque a verdade é que a responsabilidade de termos essa gente a governar esse povo é do povo que a elegeu.

Presumo também que a comunicação social faça hoje o mesmo número que fez ontem e que passe nas televisões o deserto da capital, os horários de Domingo nos transportes públicos, o comércio encerrado, as empresas fechadas, a desobediência civil escarrapachada na cara desta gente que governa um povo que não conhece, um governo moralista, desligado da realidade, que insiste em querer aplicar os seus governados aquilo que nem aos seus próprios filhos consegue impor.

Os serviços públicos que hoje estão abertos para servirem o deserto que enche as ruas, estarão certamente a gastar muito mais do que gastariam caso estivessem fechados, porque teriam os ar condicionados desligados, as luzes apagadas e o papel higiénico poupado.

Como digo, é o que faz ter governantes que não conhecem o povo que governam.
Um governo desligado do seu povo.
LNT
[0.129/2012]

3 comentários:

Kruzes Kanhoto disse...

Sem dúvida. Deve ser com decisões idiotas como a de não dar tolerância de ponto que o tal PIB vai crescer...

Maria disse...

Sr Luís
O que me irrita nestas coisas de feriados, é ter-se cortado o 5 de Outubro, sem o qual não haveria Republica e, ó santa ignorância, só meia dúzia sabia o que era.
É terem, num Estado Laico que pedir licença aos padres, para cortar 2 dias santos. Os padres escolheram a seu belo prazer e, ninguém refilou.
Vem a porcaria do Carnaval e, toda a gente se atira ao ar, porque a tradição, porque o costume, porque o divertimento...
Que vontade terá algum português de andar a fazer figura de parvo, se já a faz durante todo o ano? Esquece as dívidas próprias e as do país? Esquece que há fome e sem abrigo? Esquece que há crianças abandonadas, sem direito à educação?
Sim. Eu sou suspeita. Não gosto, nunca gostei, do carnaval.
Detesto máscaras e mascaradas e, há disso todo o ano.
Maria

Luis Novaes Tito disse...

A questão não é o carnaval, Maria.
É a prepotência e a demagogia desta gente.
A desobediência civil seria inevitável.