segunda-feira, 18 de junho de 2012

Dranguilos

Caneca EuropaPortugal, França e Grécia (por esta mesma ordem de importância) mantiveram-se no Euro.

Portugal, onde SCUT deixou de querer dizer “Sem Custos para o Utilizador” que era como quem dizia “Com custos para os utilizadores e não utilizadores” manteve-se no Euro graças às botas de Cristiano e deixou provado que o gel dos penteados em bico inviabiliza a utilidade da cabeça no encaixe dos esféricos.

França, onde SARKOS deixou de querer dizer “Sarna e Kaos” que era como quem dizia “Com sarnentos tipo Vichy a Europa ia morrer mesmo ali” manteve-se no Euro graças aos votos dos franceses e deixou provado que a social-democracia europeia é a única forma de inviabilizar as pretensões do capitalismo selvagem de chutar a Europa para o canto.

Grécia, onde Syrizas deixou de querer dizer “Empréstimo a fundo perdido” que era como quem dizia “Quem já conseguiu um perdão de dívida consegue mais dois ou três” manteve-se no Euro graças ao reforço da vontade do seu povo cumprir as condições acordadas para evitar que a bancarrota reabra as portas às botas cardadas e aos fuzis.

Curiosamente estes três países mantêm-se também no relvado europeu onde a equipa Merkel insiste em confundir a geografia e não lhes dá sossego. Veremos se o campeonato se resolverá eliminando os bolas-de-berlim ou se o desempate terá de recorrer à técnica das grandes penalidades.
LNT
[0.298/2012]

3 comentários:

luis reis disse...

Que cheiro horrivel que ainda hoje se faz sentir....
Curioso que o PASOK tenha perdido mais de 2 milhões de votos, e seja hoje um partido quase residual.
Porque será?É de certeza porque adora "cumprir com as condições acordads", que, note-se bem, ao contrário do que escreve, a maioria do povo Grego rejeita! É só fazer as contas...
Do susto não se livraram,Merkel e companhia, e veremos como se vai fazer "cumprir as condições acordadas",se no final desta treta toda,os Gregos não terão de vender a Acrópole!Baixa-te que logo o ....

Luis Novaes Tito disse...

Não é uma questão de adorar "cumprir com as condições acordadas" mas sim a de honrar os seus acordos. É assim em qualquer acordo que se faz.
Isto nada tem a ver com aquilo que se está a fazer em Portugal, que como se sabe, está sempre "para além" do que foi acordado.
De qualquer forma a Grécia tem aquilo que escolheu segundo as regras da democracia e como não tenho duas medidas para apoiar a democracia, uma de que é boa se os resultados forem aquilo de que eu gosto e outra que é má se for ao contrário àquilo de que gosto, a maioria dos gregos escolheu continuar no Euro e cumprir com o acordado.
O Pasok foi penalizado, verdade. Os gregos assim o entenderam. A democracia é isto mesmo.

luis reis disse...

Para além do que foi acordado...meu Deus!!!Quem é que abriu a maior parte das portas a esta canalha?Quem são os sabujos que ainda hoje se sentam naquela bancada,e que, ao longo de 6 anos, só fizeram foi mamar e gastar, e dar dinheiro aos amigalhaços dasPPP?Quer dizer, eu fumo e depois admiro-me de apanhar um cancro no pulmão, né?!!
Leis laborais? Claro estamos contra ,talvez seja,talvez seja, umbocadinho "inconstitucional"mas,abstemo-nos!!!Lindo!
Essa do "povo escolheu" dá vontade de rir!Chantagem até há ultima hora! E já agora, onde é que leu que o Syriza ,quer sair do euro?
Eu até me inclino mais para uma Esquerda Democrática,do que um partido como o Syriza,mas haja atenção...

ps. e sabe muito bem que não houve perdão de divida nenhum ok?