sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

O amadorismo do CEO

Zeinal BavaBava não lê os jornais. Não foi por eles que soube que ia ser agraciado por Sua Excelência com um crachá no último Dia da Raça, não foi por eles que soube dos muitos salamaleques que lhe atribuíram louvores e brilhos destinados aos melhores CEOs do Mundo, mesmo quando lhe foram dirigidos na ingenuidade de quem fez essas atribuições e depois se surpreendeu ao saber que ele foi o primeiro responsável pela destruição do valor de uma das mais importantes empresas portuguesas.

Também não foi por eles, nem por quaisquer outros meios, que soube do ruinoso investimento que a PT fez na Rio Forte.

À arrogância e displicência (e ignorância confirmada) deste nosso novo-rico, Mortágua respondeu com a categorização de amador.

Em resposta ao amadorismo possidónio deste nosso novo-rico agraciado com uma das mais elevadas condecorações portuguesas atribuídas por Sua Excelência que nunca se engana e raramente tem dúvidas, só nos resta mandá-lo: barda merda, sr. Engenheiro.

Se ao menos os novos-ricos amadores soubessem bom português e conseguissem articular os verbos na língua materna…
LNT
[0.120/2015]

2 comentários:

C.C. disse...

Ele de amador tem pouco. Faz pouco é cá da populaça!Está-se nas tintas para a figura que faz, porque acha que somos todos um bando de palermas regidos por um aprendiz de feiticeiro, esse sim, não lê os jornais nem nada; mas tão bandido como ele.Manipulam,roubam, e nós aplaudimos!
Apetecia-me esgatanhá-lo todo! Nem consegui ouvir

Luis Novaes Tito disse...

O que ele quer, sei eu...