terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Nojo

Pentelho



Enquanto a comunicação social debate a maçonaria fazendo passar a ideia de que é uma sociedade secreta mafiosa, nunca referindo quaisquer outras confissões, como por exemplo as que fazem da vida uma Obra instalada no poder para transformar a solidariedade em caridadezinha, como o que se está a fazer na saúde, o polvo cresce e suga com as ventosas dos seus tentáculos, tudo o que há para chupar.

Sucedem-se nas televisões os defensores da liberdade das empresas privadas poderem escolher os seus dirigentes evitando dizer o óbvio, isto é, que se está a falar de empresas recentemente privatizadas que escolhem os seus dirigentes entre os que seleccionaram essas empresas públicas para serem privatizadas e que estão profundamente enfeudadas nos poderes que escolheram os privados que as adquiriram.

Já não é nojo de que se fala. É de promiscuidade inadmissível.

Entretanto embalam-nos. Odeiam a liberdade individual. Preparam terreno para a inquisição. A declaração de credo. A obrigatoriedade da conversão.
LNT
[0.022/2012]
Enviar um comentário