quarta-feira, 27 de abril de 2011

Sarjeta

SarjetaMuitas vezes abro o editor desta traquitana para deixar uma nota e, não poucas, fico com o amargo de pensar na sua inutilidade. Há centenas, milhares de blogs, de articulistas, de comentadores que dizem e escrevem o mesmo, alguns com a sorte de serem menos lidos.

Ainda assim não resisto a deixar escritos como este que admiravelmente continuam a ser lidos por centenas, coisa que assusta e que, em dias como o de hoje, despertam o sussurro: Não escrevas, não publiques, apaga, apaga, mata, mata.

Depressão, dispersão, desilusão, disfunção, ou a angústia de só ter angústia para transmitir, neste marasmo que já não traz medo nem respeito.

Deve ser o que se sente no cadafalso, ou o que sentirá um povo a aguardar que meia dúzia de contabilistas revejam o caderno dos calotes feitos em seu nome, mesmo que deles não tenha tirado proveito, para sacarem do chicote e a cada vergastada acrescentem que ainda faltam muitas mais.

Até poderia ser profiláxico não se soubesse que a morte é o fim da tormenta.
LNT
[0.142/2011]

4 comentários:

BlueVelvet disse...

Pouco mais tenho a acrescentar além de um pequeno post que vou pôr no meu blog.
Também com a mesma sensação de inutilidade que sentes.

mdsol disse...

:)

George Sand disse...

Este blog, de inutel não tem nada!!!

Anónimo disse...

Inutilidade? Coisa nenhuma. Acho que o blog do Sr Barbeiro Luis é de toda a utilidade. Quero realçar que apesar de, muitas vezes discordar do "bloguer", o encontro muito lúcido e objectivo. As ideias de cada um, a cada um pertencem. Julgo muito importante, o contributo dado pelo Sr Luis Tito, na troca de impressões, por vezes mal dirigidas e outras mal digeridas. Mas é a vida nesta nossa sociedade. Para finalizar digo!!! Não desanime e prossiga os seus ideais. Nós cá continuamos a seguir os seus pensamentos e a comentar. Um abraço solidário e democrático e..... queira desculpar as inconveniências de alguns comentadores.