quarta-feira, 20 de julho de 2011

Imparidade de quem a pariu

StripperA ver se me faço entender, eu que nada percebo de engenharia financeira (nem quero entender porque detesto ciências ocultas).

Na NET ainda é possível encontrar publicidade institucional relativa aos utilizadores de luxo dos cartões de crédito do BPN. Eu nem sabia que o BPN tinha crédito, quanto mais que o concedia para consumos de luxo (para além daquela gente que anda por aí a rir-se das papalvos que entregam parte dos seus vencimentos para garantir a isenção da "Necessidade de Prudência" nas "poupanças" conseguidas com o que sacaram do BPN).

A ser verdade que os muitos milhões de Euros que os contribuintes já enterraram neste sorvedouro insaciável de dinheiros públicos poderão resultar numa receita de venda inferior a uma centena de milhar e que, ainda assim, a CGD terá de continuar a suportar nos próximos dois anos o esforço de financiamento do BPN, não seria de arrumar o assunto acabando de vez com aquele cancro?
LNT
[0.290/2011]

2 comentários:

João Afonso Machado disse...

Caro Luis: em si saúdo o socialismo de Antero e Latino Coelho. E calo-me, senão acabo confessando-me socialista também.

Luis Novaes Tito disse...

Caro João,
É uma honra que assim me considere.
Agradecido, um abraço