quinta-feira, 16 de abril de 2015

Nós vos glorificamos, senhor, porque nos salvaste

Cavaco SilvaSerá que o último discurso de Cavaco no vinte e cinco do quatro (alegrem-se, será o último que profere nessa data e continua a contagem decrescente para que dele nos vejamos livres) vai andar à volta da temática do entendimento, mesmo depois de se saber, por Passos Coelho, que não há entendimento possível com o PS e que com o CDS também gostaria que não houvesse?

Ou será que a última homilia da data, que teremos de gramar proferida por Sua Excelência Inutilissima, versará o seu ego como se questionasse o espelho mágico para saber se há alguém mais belo e melhor binascido do que ele?

E nós arreliados por ainda não sabermos em que dia se realizará a tomada de posse do novo Presidente da República, seja ele quem for, para podermos pôr nos nossos Blogs um daqueles relógios que contam os segundos, as horas, os dias e os meses, para festejar.

Como Dali e Picasso já não pintam, quem será o artista surrealista ou cubista que o irá imortalizar na galeria dos presidentes? Ou será que ficará perpetuado, a seguir ao Paula Rego de Sampaio, por um trinado estridente de Katia Guerreiro?
LNT
[0.200/2015]
Enviar um comentário