sexta-feira, 20 de junho de 2014

Barbering Books [ XVI ]

Barbering BooksÓ minha terra na planície rasa,
Branca de Sol e cal e de luar,
Minha terra que nunca viste o mar,
Onde tenho o meu pão e a minha casa.

Minha terra de tardes sem uma asa,
Sem um bater de folhas... a dormitar
Meu anel de rubis a flamejar,
Minha terra moirisca a arder em brasa!

Minha terra onde meu irmão nasceu
aonde a minha Mãe que eu tive e que morreu
Foi moça e loira, amou e foi amada!

Truz... truz... truz - Eu não tenho onde me acoite,
Sou um pobre de longe, é quase noite,
Terra, quero dormir, dá-me pousada! ...
Florbela Espanca
Sonetos

LNT
[0.252/2014]

2 comentários:

Janita disse...

Muito bonito este soneto da nossa alentejana Florbela, que não sei onde o descobriu e eu não conhecia!
Quando cheguei à parte do truz-truz, os olhos fugiram-me para a imagem...porque seria?

Bom fim-de-semana, aí para os Algarves! Oxalá a água do mar esteja morninha.

Luis Novaes Tito disse...

Do livro "Sonetos" uma raridade que não sei se foi reeditado.