terça-feira, 24 de março de 2015

A ver se me faço entender

Escrevo porque me apetece e só me apetece escrever de vez em quando. Do que escrevo, como escrevo, o que escrevo, é minha responsabilidade.

Da vossa (responsabilidade) é o que lêem, o que interpretam daquilo que escrevo e do que não deixo escrito nem nas letras, nem nas palavras, nem entre elas ou nas entrelinhas.

Um ponto final, uma vírgula, um travessão, não são ideias, não são lavra, só pontuação.

Espero ter-me feito entender.
LNT
[0.163/2015]
Enviar um comentário